Volta de boates na cidade do Rio de Janeiro é marcada por pessoas sem máscara

Uso da máscara em locais fechados continua sendo obrigatório

Pauline Almeidada CNN

No Rio de Janeiro

Ouvir notícia

Pessoas sem máscara em ambientes fechados marcaram o primeiro fim de semana com a reabertura de boates e danceterias na cidade do Rio de Janeiro. Um decreto da prefeitura, publicado na última quarta-feira (27), liberou o funcionamento dos estabelecimentos, com 50% da capacidade de público.

A equipe da CNN esteve na avenida Armando Lombardi, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, onde estão localizadas várias casas noturnas. Apesar da obrigatoriedade da máscara contra a Covid-19 em locais fechados, imagens mostram que a grande maioria do público não respeitou a regra, além de algumas aglomerações.

Desde a última quinta-feira (28), a cidade do Rio de Janeiro flexibilizou o uso da proteção facial, mas apenas em locais abertos e onde for possível manter distanciamento social.

A Secretaria Municipal de Saúde determina o uso de máscara em boates e danceterias e a exigência do passaporte da vacina contra o coronavírus para o acesso. Na atual etapa da campanha de imunização no Rio, as pessoas acima de 30 anos precisam comprovar duas doses ou dose única, enquanto a faixa etária abaixo de 30 anos, a primeira dose. Em duas casas noturnas visitadas pela CNN, o documento não foi solicitado. Já o distanciamento social não é obrigatório.

Questionado pela CNN sobre o desrespeito ao uso da máscara nos estabelecimentos, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, disse que as boates e danceterias podem ser multadas.

“Isso é ruim. O estabelecimento pode ser multado. A gente sabe que é baixíssima a transmissão, com baixíssimo risco de contágio, com pouquíssimos casos de pacientes internados, mas é importante que as pessoas respeitem as etapas. A gente tem uma nova etapa prevista que vai ter a liberação da máscara [em locais fechados]. Se as pessoas pularem etapas, podem colocar as outras em risco”, destacou na manhã deste sábado (30).

A Secretaria Municipal de Ordem Pública informou que fiscalizou casas noturnas pela cidade, mas não identificou flagrantes. No entanto, informou que pode autuar estabelecimentos posteriormente, após análise da Vigilância Sanitária. Daniel Soranz, secretário municipal de Saúde, informou que denúncias podem ser feitas à prefeituras com fotos e vídeos das irregularidades.

“Entendo que é um período muito grande de medidas restritivas, que muitas pessoas estão ansiosas para voltar às atividades, mas pedimos a colaboração de todos para que respeitem as etapas”, afirmou Soranz.

Mais Recentes da CNN