Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Duzentas crianças refugiadas desaparecem no Reino Unido e abrem nova crise política

    Imigrantes estavam em hotéis pagos pelo governo à espera de que seus casos de entrada no país fossem processados

    A maioria dos jovens chegou ao país de forma ilegal, muitos atravessando o Canal da Mancha em perigosas travessias a bordo de botes infláveis.
    A maioria dos jovens chegou ao país de forma ilegal, muitos atravessando o Canal da Mancha em perigosas travessias a bordo de botes infláveis. 11/01/2020REUTERS/Henry Nicholls

    Américo Martinsda CNN

    Londres

    Mais de cem organizações de defesa dos direitos humanos enviaram uma carta aberta ao governo do Reino Unido protestando contra o desaparecimento de pelo menos 200 crianças e adolescentes refugiados.

    A maioria dos jovens chegou ao país de forma ilegal, muitos atravessando o Canal da Mancha em perigosas travessias a bordo de botes infláveis.

    Todos eles estavam hospedados em hotéis de forma temporária, já que os abrigos oficiais do governo britânico estão lotados

    As organizações temem que as crianças possam ter sido sequestradas por gangues criminosas especializadas em tráfico de pessoas e exploração de trabalho escravo.

    Simon Murray, vice-ministro do Interior do Reino Unido, disse ao Parlamento que o governo não sabe o paradeiro dos jovens. Ele diz, no entanto, que não há nenhuma comprovação de que eles tenham sido sequestrados.
    Segundo Murray, “existem muitas razões pelas quais as crianças desaparecem”. A explicação, por óbvio, não convenceu as organizações de direitos humanos e nem a oposição.

    O caso está abrindo uma nova crise no país relacionada à política de imigração do governo conservador do primeiro-ministro Rishi Sunak.

    Acomodação temporária

    Desde de 2021 o governo usa hotéis para abrigar crianças que foram separadas ou chegaram sozinhas.

    Essas são consideradas acomodações temporárias, mas muitos jovens ficam meses instalados nelas.

    Segundo Murray, o Reino Unido tem hoje cerca de 4.600 crianças abrigadas em hotéis.

    A maioria dos que sumiram sem deixar vestígios eram meninos albaneses. Vários deles tinham menos de 16 anos.

    As ONGs e a oposição cobram o fim imediato dessa política de acomodação temporária e exigem que o governo envie mais dinheiro para que as autoridades das cidades tenham condições de abrigar e ajudar de forma adequada os jovens.

    O governo de Sunak vem sendo criticado por ter adotado uma política mais dura contra imigrantes.

    Por outro lado, também enfrenta oposição entre parte do Partido Conservador, que acha que ele deveria encontrar uma forma de impedir a chegada de qualquer novo imigrante.