O Grande Debate: Gabriela Prioli e Caio Coppolla abordam sistema eleitoral


Da CNN Brasil, em São Paulo
11 de março de 2020 às 13:42 | Atualizado 18 de março de 2020 às 00:00

Eleito no segundo turno em 2018, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, na noite de segunda-feira (9), que tem provas de que houve fraude e que ele deveria ter ganhado as eleições no primeiro turno. A declaração dele e o sistema eleitoral em xeque mais uma vez são os temas do quadro O Grande Debate entre Gabriela Prioli e Caio Coppolla nesta quarta-feira (11).

Abrindo a argumentação, Prioli afirmou que a declaração de Bolsonaro é leviana e carece de lógica. "Quem fez a fraude fez isso no primeiro turno e depois, no segundo, fez o quê? Desistiu? Não quis mais fraudar?", questiona ela. "Não só foi eleito Jair Bolsonaro, mas como o filho dele Eduardo Bolsonaro foi o deputado federal mais votado Da história", acrescenta.

Coppolla, por sua vez, relembrou que Bolsonaro é autor de projeto sobre o voto impresso e destacou que o caso não passou de factoide. "A fala do presidente traz um questionamento válido", defende ele. "Haja fé para crer que o nosso sistema eleitoral é imune a fraudes", completa.

Assista também:
O Grande Debate: Caio Coppolla e Gabriela Prioli falam dos 6 anos da Lava Jato

Repercussão

Um dia após a declaração sobre o sistema eleitoral, Bolsonaro foi questionado por jornalistas sobre as provas que teria da eventual fraude, mas desconversou. "Eu quero que você me ache um brasileiro que confia no sistema eleitoral brasileiro. Eu espero que você ache um", disse após evento em Miami.

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), rebateu o presidente e disse que a Corte reafirma a "absoluta confiabilidade e segurança" do sistema eletrônico e sua capacidade de ser auditado para apurar eventuais denúncias.