Deputados veem ida às ruas de Bolsonaro como tentativa de desmoralizar Mandetta

Presidente saiu em meio à pandemia do novo coronavírus, neste domingo (29), após ministro da Saúde defender explicitamente isolamento social 

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
29 de março de 2020 às 16:53 | Atualizado 29 de março de 2020 às 17:30
 
Deputados de centro e da oposição dizem estar estarrecidos com a decisão do presidente Jair Bolsonaro de sair às ruas em meio à pandemia do novo coronavírus

O gesto ganhou ares de gravidade por ocorrer após manifestação explícita do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, a favor do isolamento social como forma de conter o alastramento do vírus no país. 

A decisão de Bolsonaro de visitar diversas áreas do Distrito Federal neste domingo (29) foi vista como uma tentativa de desmoralizar e desafiar Mandetta. 

A avaliação é a de que o presidente pode estar tentando forçar um pedido de demissão de seu aliado. 

Mandetta, em entrevista coletiva no sábado (28), ressaltou que sua pasta se guiará por procedimentos recomendados por organizações de saúde e com comprovação científica. 

Bolsonaro, neste domingo, chegou a dizer que pensa em baixar um decreto liberando várias categorias a voltarem ao trabalho —e voltou a enaltecer a cloroquina, medicamento cuja eficácia ainda não foi atestada no combate ao novo coronavírus. 

Em privado, deputados de centro começam a dizer que o Parlamento não pode mais reagir apenas com palavras e que o presidente tem se mostrado “incontrolável” diante da crise que ameaça o sistema de saúde pública. 

Bolsonaro é alvo de uma série de pedidos de impeachment na Câmara —nenhum deles foi aceito pelo presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).