Moro pediu demissão diretamente a Bolsonaro, que não aceitou, diz fonte

As informações são de que Moro está avaliando deixar o governo após ser avisado sobre a troca do comando da Polícia Federal

Da CNN, em São Paulo
23 de abril de 2020 às 15:44 | Atualizado 24 de abril de 2020 às 05:47

De acordo com o âncora Daniel Adjuto, da CNN, uma fonte confirmou que o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, pediu demissão diretamente ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido), mas ele não aceitou e agora tenta convencer o ex-juiz federal a não deixar o cargo.

Bolsonaro havia ventilado, na quinta-feira, que demitiria o diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Nesta sexta-feira, a exoneração foi confirmada no Diário Oficial da União (DOU).

Posicionamento oficial da assessoria do ministro Sergio Moro nega que ele tenha pedido demissão.

Ainda conforme Adjuto, há uma ação já programada para subir uma hashtag pedindo #FicaMoro para mostrar força no Twitter. Na tarde desta quinta (23), o nome do ministro estava no topo dos assuntos mais comentados na rede social.

Leia também:

Mudança na PF é estratégica, dizem aliados de Bolsonaro

Segundo o analista de política Caio Junqueira, da CNN, três nomes são cotados para o posto de diretor-geral da Polícia Federal, que hoje é ocupado por Maurício Valeixo.

O diretor do Departamento Penitenciário (Depen), Fabiano Bordignon, é o mais próximo a Moro, que, ainda de acordo com Junqueira, condiciona sua permanência na pasta à influência na indicação do sucessor da PF.