Bolsonaro muda nome e desiste de Oliveira para o Ministério da Justiça


Da CNN, em São Paulo
26 de abril de 2020 às 12:04 | Atualizado 27 de abril de 2020 às 20:05
Jorge Antônio de Oliveira Francisco

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira

Foto: Antônio Cruz/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) desistiu de nomear o atual ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Jorge Oliveira, para substituir Sergio Moro na pasta da Justiça e Segurança Pública. A CNN apurou nesta segunda-feira (27) que o atual advogado-geral da União, André Mendonça, deve ser o substituto de Moro.

No domingo (26), fontes do Planalto revelaram à CNN que Bolsonaro nomearia Oliveira – ele é próximo da família Bolsonaro, com quem trabalha há mais de 15 anos.

Assista e leia também:

Bolsonaro escolhe Alexandre Ramagem, diretor da Abin, para comandar a PF

Bolsonaro desiste de desmembrar Ministério da Justiça

Perfil

O ministro da Secretaria-geral da Presidência, Jorge Oliveira

O ministro da Secretaria-geral da Presidência, Jorge Oliveira, em solenidade em Brasília 

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil (12.set.2019)

Formado em 1992 no Colégio Militar de Brasília, Jorge Oliveira serviu por mais de 20 anos na Academia de Oficiais da PMDF. Em 2013, quando passou para a reserva, começou a atuar como advogado, além de assessor e consultor jurídico.

No Congresso, foi assessor jurídico de Jair Bolsonaro quando era deputado federal e chefe de gabinete de Eduardo Bolsonaro.

Em 1º de janeiro de 2019, Oliveira assumiu a subchefia de Assuntos Jurídicos da Casa Civil da Presidência da República. Depois, em 21 de junho de 2019, foi nomeado ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República.

“É uma pessoa que me acompanha acho que há mais de 10 anos, 15 anos, o pai dele, há praticamente 20 anos, me acompanhava também. E é uma pessoa muito afeita à burocracia, que é uma missão difícil aqui. Eu costumo dizer que é o prefeito aqui do Palácio do Planalto”, disse o presidente ao apresentá-lo como ministro em junho de 2019.