Pazuello torna coronel o 'nº 2' interino da Saúde e promove série de nomeações

Antônio Élcio Franco Filho será secretário-executivo enquanto Pazuello for ministro da Saúde

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
19 de maio de 2020 às 00:46 | Atualizado 19 de maio de 2020 às 13:03

Ministro interino da Saúde desde a saída do oncologista Nelson Teich do cargo, na última sexta-feira (15),o general-de-divisão Eduardo Pazuello designou, nesta terça-feira (19), o coronel Antônio Élcio Franco Filho a ser seu substituto temporário na função que ocupava anteriormente, a de secretário-executivo da pasta.

Leia também:
Ministro da Saúde precisa ser médico? Secretário defende general como interino

Franco Filho era secretário-executivo adjunto, já um dos postos mais importantes do ministério, mas originalmente o substituto de Pazuello como "número 2" deveria ser Carlos Alberto Andrade e Jurgielewicz, ainda um nome indicado por Mandetta. Na portaria em que oficializou a mudança, Pazuello dispensou Jurgielewicz de assumir a função..

O cargo de secretário-executivo é considerado o segundo mais importante na hierarquia do Ministério da Saúde. A área é responsável pela supervisão e coordenação das atividades das demais secretarias do ministério e suas entidades vinculadas.

Além da indicação de Franco Filho, o ministro da Saúde interino realizou uma série de outras nomeações em publicações no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, com ao menos nove outros anúncios em cargos menores.

 

Nome próximo a Pazuello

Antônio Élcio Franco Filho, que passa a ocupar de forma provisória o segundo posto mais importante do Ministério da Saúde, foi anteriormente secretário da Saúde no governo de Roraima. Já na gestão de Nelson Teich, o coronel havia sido nomeado secretário-executivo adjunto da pasta no governo federal, em ato assinado pelo ministro-chefe da Casa Civil, Walter Braga Netto.

Ainda como secretário-adjunto, Antônio Élcio Franco Filho participou de entrevista coletiva do Ministério da Saúde nesta segunda-feira (18) e respondeu a contestações sobre a capacitação de Pazuello para comandar o ministério da Saúde sem a formação médica. 

O secretário afirmou que "o segredo da gestão é saber usar a equipe" e argumentou que o ministro interino se pautará pelo "corpo técnico de excelência" do ministério.

 

Reformulação do ministério

Além da designação de Franco Filho como secretário-executivo eventual, ao menos outras nove mudanças foram oficializadas na pasta nesta terça-feira. Todos são militares.

Foram anunciadas as seguintes alterações na estrutura do Ministério da Saúde: Angelo Martins Denicoli como novo diretor do Departamento de Monitoramento e Avaliação do SUS (em substituição a Alberto Tomasi Diniz Tiefensee); Luiz Otávio Franco Duarte como assessor especial do Ministro; Giovani Cruz Camarão como coordenador de finanças (em substituição a Marcos Robero Leandro da Rocha); André Cabral Botelho como coordenador de contabilidade (em substituição a Alexandra das Neves Agapito de Aaraújo); Alexandre Magno Asteggiano como assessor (em substituição a Elisene Maria Souza Brito); Marcelo Sampaio Pereira como diretor de programa; Vagner Luiz de Silva Ranger como coordenador-geral de Execução Orçamentária (em substituição a Neuta Carolines Alves Dias); Mario Luiz Ricette Costa como assessor técnico (em substituição a Filipe de Almeida Bernardes); e Ramon da Silva Oliveira como coordenador-geral de Inovação (em substituição a Suelen Gonçalves dos Anjos).

 

Ministro interino

Não há previsão sobre quanto tempo Eduardo Pazuello seguirá no cargo de ministro. Especialista em Logística no Exército, ele é o terceiro a chefiar a Saúde durante a pandemia do novo coronavírus (Covid-19).

Os dois antecessores, Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich, tiveram suas gestões marcadas por divergências com o presidente Jair Bolsonaro em relação a políticas de combate à pandemia - especialmente a rigidez do isolamento social nas cidades brasileiras e os protocolos para uso da cloroquina e da hidroxicloroquina para tratar a doença. 

Nesta segunda-feira, Eduardo Pazuello respresentou o Brasil na Assembleia Mundial da Saúde da Organização Mundial da Saúde (OMS).