Gesto de Alcolumbre é interpretado como um passa-fora em Weintraub

A saída de Abraham Weintraub do Ministério da Educação é tratada como "plausível" por governistas do primeiro escalão

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
12 de junho de 2020 às 12:47 | Atualizado 12 de junho de 2020 às 12:49
Ministro da Educação, Abraham Weintraub: Alcolumbre devolveu MP que dá permissão ao ministro para escolher reitores durante pandemia sem consultar comunidade acadêmica.
Foto: Reprodução/Twitter

A decisão incomum do presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), de devolver a Medida Provisória do governo que trata da escolha de reitores de universidades foi interpretada pelo governo como "um tiro" no ministro da Educação, Abraham Weintraub. "Foi um passa-fora no ministro. O alvo não é a medida, mas o ministro", avaliou à CNN um ministro de governo com boa interlocução junto ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A saída de Abraham Weintraub é tratada como "plausível", por governistas do primeiro escalão.

Como a coluna divulgou, senadores têm se colocado como opção para a vaga de Weintraub, que continua ministro, mas tem sido pressionado a pedir demissão.

Assista e leia também:
Governo avalia que Weintraub vai perder em julgamento no STF
O Grande Debate: Weintraub deve responder no Supremo por ofensas à Corte? 

A decisão surpreendeu também quem trabalha no Senado. A área jurídica tinha a avaliação de que não cabia o ato de devolução da MP. "Havia chances mínimas para devolução. Em uma noite, tudo mudou", contou uma fonte ligada a Alcolumbre.

Já o ministro da Educação optou pelo silêncio. Procurado pela CNN, mais de uma vez, Weintraub respondeu que não iria declarar nada.