Políticos repercutem prisão de Fabrício Queiroz

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro foi preso no interior de São Paulo, na manhã desta quinta-feira (18)

Anna Gabriela Costa, da CNN em São Paulo
18 de junho de 2020 às 10:49 | Atualizado 20 de junho de 2020 às 21:43
 

Autoridades políticas repercutiram, por meio dos perfis que mantêm nas redes sociais, a prisão do ex-policial Fabrício Queiroz, na manhã desta quinta-feira (18), no interior de São Paulo. Queiroz foi assessor e motorista de Flávio Bolsonaro até outubro de 2018, um mês antes do início da operação que apura esquema de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), na qual é investigado. 

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ), vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, e um dos deputados que teve o sigilo bancário quebrado após pedido do Supremo Tribunal Federal (STF) como parte do inquérito que apura a organização e o financiamento de atos antidemocráticos, criticou a prisão de Queiroz pela sua conta no Twitter.

“Darei meu sangue para que esse “sistema de detenção sem questionamento” não se torne, aqui, na República Federativa do Brasil, um perigoso e potente meio de opressão e abuso”.

O senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), afirmou, após a prisão de Queiroz, que "a verdade prevalecerá". 

"Encaro com tranquilidade os acontecimentos de hoje. A verdade prevalecerá! Mais uma peça foi movimentada no tabuleiro para atacar Bolsonaro. Em 16 anos como deputado no Rio nunca houve uma vírgula contra mim.Bastou o Presidente Bolsonaro se eleger para mudar tudo! O jogo é bruto!", disse o senador.

Leia mais:

Vídeo: imagens mostram operação que prendeu Fabrício Queiroz em Atibaia

'A verdade prevalecerá', diz Flávio Bolsonaro sobre prisão de Queiroz

Caseiro afirma que Queiroz estava há poucos dias em escritório de Wassef
 

A deputada federal Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente do PT, comentou o fato de Queiroz, de acordo com imagens divulgadas da prisão, ter sido detido em um imóvel de Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro.

"Queiroz estava escondido num imóvel de Frederick Wasseff, advogado da família Bolsonaro. Flavio, o senador, disse no ano passado que desconhecia o paradeiro de Queiroz! E agora? #ContaTudoQueiroz”, escreveu Hoffmann.

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP), integrante do Movimento Brasil Livre (MBL), falou sobre ser um “grande dia para a justiça”. “Queiroz acaba de ser preso em São Paulo. O assessor de Flávio Bolsonaro acusado de rachadinha foi encontrado em um imóvel do advogado do parlamentar, Frederico Wassef, em Atibaia, no interior de São Paulo. Grande dia para a justiça”, disse 

O deputado federal Marcelo Freixo (PSOL-RJ) também se manifestou na manhã desta quinta-feira. Freixo disse que “Queiroz jogava em todas as posições no time da família”.

“Ponta de lança na área da milícia, articulador das rachadinhas no gabinete do Flávio, trouxe o matador Adriano da Nóbrega para o elenco e ainda depositou $$$ na conta da primeira-dama”

A esposa de Queiroz, Marcia Oliveira de Queiroz, também foi lembrada pela deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), ex-apoiadora de Jair Bolsonaro.

“Esposa de Queiroz já é considerada foragida pelo Ministério Público. Márcia de Oliveria teria repassado mais de 1 milhão p/ o marido no esquema de rachadinha. Tá na hora. #DelataQueiroz”, afirmou a deputada.

O candidato à presidência da república pelo PSOL, nas eleições de 2018, Guilherme Boulos, foi outro que repercutiu a prisão.

“Por que Queiroz estava morando na casa do advogado de Flávio Bolsonaro? Se Queiroz abrir a boca, Bolsonaro cai! #FalaQueiroz”, escreveu Boulos.

O ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, destacou a importância de os fatos serem esclarecidos.

"O importante é que polícias, Ministério Público e Cortes de Justiça possam trabalhar de maneira independente e que todos os fatos sejam esclarecidos". 

Prefeito de Salvador e presidente nacional do Democratas, ACM Neto, declarou, a respeito da prisão de Queiroz, que "o tema incomoda o governo".

"A prisão do Queiroz não é uma pauta que agrada ao governo. Óbvio que não. De certa forma, o governo vem vivendo com esse fantasma desde o dia em que o presidente tomou posse. Agora, eu não tenho elementos para avaliar o fundamento da prisão é das medidas judiciais tomadas hoje. Li pela imprensa. Não conheço o processo. Não me sinto à vontade para opinar sobre isso, deixo claro. Mas é óbvio. Esse é um tema que incomoda o governo. Mas se está certo ou errado, se deveria ser preso ou não, não tenho condições de avaliar. O que posso dizer é que todos que estão na vida pública devem atuar como transparência".

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), também publicou em sua rede social o manifesto em relação à prisão do ex-assessor de Flávio Bolsonaro.

"Com mais integrantes da facção de Bolsonaro presos, é provável que ele insista na intimidação sobre o Judiciário, usando a imagem das Forças Armadas. Espero que os comandos destas desautorizem o uso indevido. Queiroz, rachadinhas e fake news são assuntos judiciais, não militares.", afirmou o governador".

O ex-presidente da República, Luíz Inácio Lula da Silva, utilizou uma rede social para afirmar que "Queiroz deveria ter sido preso há muito tempo". 

"Tem uma dúvida que me inquieta: por que não foi a Polícia Federal que prendeu o Queiroz? Ele já deveria ter sido preso há muito tempo. Diziam não saber onde ele tava e agora encontraram na casa do advogado do filho do Bolsonaro...", disse Lula.