Presidente da OAB-Campinas analisa atuação de Wassef no caso Queiroz

Daniel Blikstein acompanhou ação da polícia em Atibaia na prisão de ex-assessor de Flávio Bolsonar

Da CNN
22 de junho de 2020 às 14:01
 

Em entrevista à CNN,  Daniel Blikstein, presidente da seção de Campinas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), afirmou que a partir da análise de documentos será possível avaliar se Frederick Wassef, advogado do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) "extrapolou em suas atividades". O ex-assessor de Flávio Bolsonaro estava em um imóvel de Wassef.

"A partir da análise de documentos será possível saber se [Queiroz estar na casa era] proposital e se [Wassef] extrapolou às atividades como advogado. Sempre garantindo o direito de defesa. Importante  reforçar que a entidade tem uma atuação séria e respeitada no ponto de vista ético e disciplinar", explicou.

Leia também:

Wassef diz que deixará defesa de Flávio para não prejudicar Bolsonaro
Vídeo: imagens mostram operação que prendeu Fabrício Queiroz em Atibaia
Luciana Pires e Rodrigo Roca vão defender Flávio Bolsonaro no caso Queiroz

Blikstein também contou como foi conduzida a operação da Polícia Federal na última quinta-feira (18). Segundo ele, inicialmente não se tinha informações sobre os envolvidos no mandado, apenas quando os agentes chegaram em Atibaia, interior de São Paulo. 

"Nosso objetivo ao acompanhar [estas diligências] é proteger o escritório de advocacia, tendo em vista que esse era o parecer inicial", disse. "Nós fomos convocados pelo Gaeco Ministério Público do estado de São Paulo para uma operação que era sigilosa e que nós não sabíamos qual era o destino", completou.

"Foram destacados alguns advogados para fazer o acompanhamento desta diligência, só soubemos que o destino seria desse advogado no momento que começou a diligência em Atibaia e que entramos em contato com a OAB local", disse Blikstein.