'Decotelli tem as características para ser bom ministro', avalia Priscila Cruz


Da CNN
26 de junho de 2020 às 12:25

A presidente-executiva da organização não governamental Todos Pela Educação, Priscila Cruz, avaliou como positiva a nomeação de Carlos Alberto Decotelli da Silva para o Ministério da Educação. A declaração foi dada em entrevista à CNN, nesta sexta-feira (26).

Priscila disse que "a nomeação de Decotelli está no caminho correto" e "é muito melhor do que o ministro anterior".

"O [Abraham] Weintraub explodiu todas as pontes e teve uma gestão muito conturbada por toda aquela raiva e o estilo dele, que não é de um bom gestor ou preocupado com resultados educacionais", criticou.

Segundo Priscila, o momento de pandemia exige articulação e diálogo entre o governo federal, estados e municípios.

"Restabelecer essas relações todas é um grande desafio, e o Decotelli tem as características necessárias para isso", considerou.

Leia também:

Bolsonaro nomeia Carlos Alberto Decotelli da Silva para ministro da Educação
Weintraub foi 'competente em ser incompetente' no MEC, diz Priscila Cruz
Mercado, questão racial e universidades: o que pensa o novo ministro da Educação

Para a presidente-executiva da Todos Pela Educação, Decotelli "é um bom gestor e uma pessoa cordata, séria e que consegue estabelecer conversas". "Tem as características para ser um bom ministro, mas precisamos observar os próximos passos concretos e o que fará nos próximos dias", analisou.

Crítica de Weintraub, Priscila o classificou como "inoperante, omisso e, mais do que isso, que destruiu muita coisa".

"Foi realmente um período de grande destruição para a educação brasileira e promovida pelo governo federal", disse. "Não consigo encontrar nenhuma marca positiva desses 14 meses", completou.

Ela defendeu que "Decotelli tem o trabalho de reconstruir essas pontes e formar um gabinete de enfrentamento da crise na educação", além de "afastar esse olavismo que entrou no MEC".

"Nenhum órgão de governo tem que fazer revolução cultural nenhuma. O que precisamos no MEC é de uma gestão voltada para resultados –  dos quais o Brasil precisa desesperadamente, porque estamos muito atrás nos ranking mundiais e, acima de tudo, negando oportunidades futuras para essas crianças e jovens mais pobres",  refletiu.

 "Espero que o ministro entenda sua função não só para o MEC, mas para a vida de criança e jovens e para o futuro da nação, que depende de educação de qualidade", acrescentou. "É o cargo mais importante da República hoje, porque é para fazer toda essa transformação que o Brasil tanto precisa", concluiu.

Decotelli 

Carlos Alberto Decotelli da Silva

Carlos Alberto Decotelli da Silva, novo ministro da Educação, em entrevista para a CNN

Foto: CNN (25.jun.2020)

Nomeado na quinta-feira (25), Decotelli foi presidente do FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação), órgão de execução de políticas educacionais, entre fevereiro e agosto de 2019, segundo o site do MEC – ou seja, já no governo Bolsonaro, de cuja transição também participou.

Em entrevista à CNN e em suas redes sociais, o economista deu alguns sinais de o que pensa sobre a educação brasileira e quais caminhos pretende seguir. No Twitter, escreveu que o sistema educacional brasileiro é "naufragado" e que defende a "criação de sistemas de ensino propícios ao êxito".

À CNN, ele disse que espera restabelecer o diálogo com as universidades federais e com o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), assim como encontrar soluções para melhorar a qualidade da educação pública do país.