No Twitter, Oswaldo Eustáquio diz que é 'preso político'


Anna Satie, da CNN em São Paulo
26 de junho de 2020 às 16:53
oswaldo eustaquio

Oswaldo Eustáquio é investigado por atos antidemocráticos

Foto: Reprodução/ Youtube

O perfil no Twitter do blogueiro Oswaldo Eustáquio, preso nesta sexta-feira (26) em desdobramento do inquérito que apura o financiamento de atos que promovem pautas antidemocráticas, como o fechamento de instituições e intervenção militar, foi atualizado mesmo depois da notícia de sua detenção. No post, Eustáquio se descreve como "preso político". 

"Se cumpriu mandado de prisão e de busca e apreensão a pedido de Alexandre de Moraes do STF. Me torno hoje um jornalista preso politico, minha voz não será calada", escreveu. 

Eustáquio foi preso em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. A Polícia Federal tinha informações de que o blogueiro estaria em Ponta Porã, na fronteira entre o Paraná e o Paraguai, e avaliou que havia risco de fuga, apurou a analista da CNN Basília Rodrigues

Leia também:

PF prende blogueiro ligado a Sara Winter

PGR diz que '300 do Brasil' organiza ações que violam Lei de Segurança Nacional

A operação foi no âmbito da mesma investigação que prendeu Sara Giromini, conhecida como Sara Winter, e outros seis militantes do grupo "300 do Brasil". Eles foram libertados nesta quarta-feira (24), após um despacho do ministro Alexandre de Moraes que determina a substituição das prisões temporárias por medidas cautelares.

A imagem da capa do perfil do Twitter de Eustáquio o coloca ao lado de Giromini, dizendo que o crime que cometeram é "defender a pátria". 

A PGR (Procuradoria-Geral da República) já disse que o grupo organiza ações que violam a Lei de Segurança Nacional.

Mais cedo neste ano, Eustáquio foi condenado a pagar R$ 15 mil ao jornalista Glenn Greenwald, após insinuar que ele havia mentido sobre a doença de sua mãe para acelerar o processo de concessão do visto americano a seus filhos. Arlete Greenwald morreu no fim de 2019, vítima de um câncer no cérebro.