Reitor do ITA e ex-presidente do CNE são cotados para substituir Decotelli


Renata Agostini
Por Renata Agostini, CNN  
30 de junho de 2020 às 17:31
Carlos Decotelli

O ministro da Educação Carlos Alberto Decotelli

Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

Aliados do presidente Jair Bolsonaro afirmam que dois novos nomes foram colocados na mesa como alternativa a Carlos Decotelli no comando do MEC (Ministério da Educação): Anderson Ribeiro Correia, reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), e Gilberto Garcia, ex-presidente do Conselho Nacional de Educação, reitor da Universidade Católica de Brasília e da Universidade São Francisco (SP), onde está atualmente. 

Segundo relatos feitos à CNN, os dois nomes são bem vistos pelo setor educacional. A avaliação é que ambos são técnicos e desprovidos de bandeiras ideológicas. Nos últimos, após a saída de Abraham Weintraub, secretários de Educação nos estados fizeram chegar ao Palácio do Planalto a preocupação que o novo ministro tivesse mais afinidade com o meio acadêmico e menos ligação com a chamada ala ideológica. 

Leia também:

Carlos Alberto Decotelli pede demissão a Bolsonaro

FGV diz que Decotelli não foi seu professor efetivo

'Informação falsa em currículo gera descrédito na Academia', avalia professor

Decotelli muda currículo de novo e pós-doutorado vira 'projeto de pesquisa'

O nome de Garcia foi sugerido a Bolsonaro antes mesmo de o presidente optar por Carlos Decotelli. Ele tem o apoio de integrantes da base evangélica no Congresso e das associações Nacional de Educação Católica do Brasil (ANEC) e Brasileira de Instituições Educacionais Evangélicas (ABIEE). O esforço para convencer Bolsonaro sobre o nome voltou nesta terça-feira (30), diante das notícias de saída do nomeado para o comando do MEC.