Governador da Bahia decreta toque de recolher em 11 cidades metropolitanas


Da CNN, em São Paulo
04 de julho de 2020 às 19:18
 
O governador do estado da Bahia, Rui Costa (PT-BA), em entrevista para a CNN neste sábado (4), falou sobre a medida restritiva, decretada por ele, que impõe o toque de recolher em onze cidades da região metropolitana do estado. Além disso, Costa avaliou o avanço da Covid-19 na Bahia. Segundo o boletim oficial do estado, nas últimas 24 horas, foram registrados 3.171 novos casos da doença.

“Nós fizemos uma estratégia diferente de outros estados. Nós optamos por regionalizar e até, em muitos casos, municipalizar a adoção de medidas restritivas, porque a Bahia é muito grande. É um estado que do extremo sul ao extremo norte temos mais de 1.500 quilômetros de distância”, disse. A decisão de atuar regionalmente foi tomada desde o início da pandemia do novo coronavírus. 

Leia também:

Atualmente, a região metropolitana do estado está com 83% dos leitos de UTI ocupados. Após se reunir com o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), e demais prefeitos das cidades ao redor, segundo Costa, a decisão pelo toque de recolher foi unânime. Durante oito dias, do domingo, 5 de julho, ao domingo, 12, serão adotadas medidas mais restritivas a fim de baixar o percentual de contaminação. O comércio essencial irá funcionar até as 17h, e após as 18h, ficará restrita a circulação de pessoas na ruas.

“Nós estamos há três semanas com um patamar estável do número de mortes, mas infelizmente muito alto, em torno de 50 mortos por dia. Então, a cada 20 dias são mil óbitos que estamos contabilizando, e precisamos reduzir isso”, afirma.

A reunião do governador com os líderes dos municípios também determinou que a internação dos pacientes que testarem positivo pela Covid-19, e apresentarem sintomas, será feita de maneira mais precoce. “Nós vamos internar os pacientes nos primeiros sintomas para, precocemente, iniciar o tratamento. Se necessário for, ampliaremos o número de enfermarias”. Rui Costa também anunciou a abertura de novos leitos de UTI na capital.

Sobre o toque de recolher, o governador afirmou que a medida já tinha sido adotada, ao longo da pandemia, em alguns municípios. “O resultado foi muito efetivo. O toque de recolher é para evitar aquele contato pessoal que é absolutamente desnecessário. Infelizmente, muitas pessoas, à noite, por volta das 18h, 19h e 20h, principalmente jovens, que se acham mais  fortes e resistentes, acabam formando grandes grupos ou fazem festas, concentrações em bares, mesmo em bares menores, ou abaixam a porta do bar e ficam lá dentro”. Ele deu como exemplo a cidade de Jequié, onde as medidas foram adotadas por duas semanas, e, como consequência, houve um crescimento da taxa de isolamento.


Lockdown em Salvador


ACM Neto declarou que a deflagração das medidas restritivas e o lockdown na capital, que segundo ele, foram aconselhados pelo Consórcio do Nordeste, não teria força na prefeitura da capital. “Eu não vi essa recomendação, e caso ela tenha acontecido, ela não tem qualquer tipo de impacto ou força indicativa para a prefeitura. Eu não tenho me amparado nas opiniões do Consórcio do Nordeste”, declarou. 

Rui Costa diz que o lockdown foi apontado por um Comitê Científico do Consórcio Nordeste, formado por cientistas e pesquisadores que sugeriram a adoção de medidas, como o lockdown, em algumas cidades do Nordeste. “Nós, os gestores públicos, não necessariamente temos adotado na íntegra as sugestões, porque eu conversei pessoalmente com integrantes do Comitê Científico, e muitas vezes existe uma distância entre a orientação ou o estudo científico e a realidade concreta vivida nas ruas das cidades”.