Conservador Duda celebra reeleição na Polônia, ainda sem vitória oficial

Opositor Rafal Trzaskowski não reconhece derrota, diz que boca de urna mostra eleição equilibrada e pede que sejam aguardados resultados definitivos

Laura Smith-Spark e Antonia Mortensen, da CNN
13 de julho de 2020 às 04:50
O presidente polonês Andrzej Duda (à esquerda)
Foto: Twitter/ Reprodução

O presidente da Polônia, Andrzej Duda, declarou vitória nas eleições presidenciais do país neste domingo, mas seu oponente afirmou que ainda não reconhece uma derrota, mostrando pesquisas de boca de urna que apontam uma votação equilibrada. 

O prefeito de Varsóvia Rafal Trzaskowski, do partido opositor Plataforma Cívica (PO), disse em uma manifestação na cidade neste domingo que as eleições foram equilibradas, como previsto, mas que uma vez contados os votos ele tem "certeza" de que vencerá.

De acordo com uma pesquisa de boca de urna apresentada pela emissora estatal TVP e realizada pela Ipsos, Duda obteve 50,4% dos votos com o fechamento das urnas no domingo. Trzaskowski teria ficado com 49,6%. A pesquisa estimou uma participação eleitoral de 68,9%, a maior em 25 anos para uma eleição presidencial.

A pesquisa do instituto Ipsos tem uma margem de erro de dois pontos percentuais para mais ou para menos. Resultados oficiais preliminares são esperados segunda-feira.

Falando em um comício em Pultusk no domingo, Duda se declarou vencedor com base nas pesquisas.

"Obrigado a todos os meus colegas poloneses que votaram em mim e deram seus votos. Quero agradecer de todo o coração, porque essa participação mostra o quanto você se importa com o nosso país", disse ele.

Duda convidou Trzaskowski para o Palácio Presidencial na noite de domingo para "apertar as mãos".

Em resposta, Trzaskowski agradeceu a Duda no Twitter pelo convite, mas acrescentou: "penso que o momento mais apropriado será após o anúncio dos resultados das eleições".

A Comissão Nacional Eleitoral da Polônia (PKW) disse que realizará uma entrevista coletiva quando os resultados forem determinados, provavelmente na segunda-feira.

A vitória de Duda - se confirmada pelos resultados finais - seria vista pelo partido nacionalista Lei e Justiça (PiS) como uma validação das políticas populistas que ele segue desde que chegou ao poder em 2015.