Aliados de Guedes veem fogo amigo de desenvolvimentistas e negam saída dele

Por Igor Gadelha, CNN  
15 de agosto de 2020 às 19:53 | Atualizado 15 de agosto de 2020 às 21:06

Integrantes da equipe econômica atribuem a ministros e outros membros da chamada ala desenvolvimentista do governo o “fogo amigo” contra o ministro Paulo Guedes nos últimos dias.

Na avaliação de auxiliares de Guedes, o pano de fundo seria a disputa em relação a furar ou não o teto de gastos, regra que impede os gastos do governo de crescerem acima da inflação do ano anterior.

Assista e leia também:

Guedes admite estudar prorrogação de auxílio emergencial mas com 'moderação'

Novo presidente do BB só chega ao Brasil em setembro, diz Rubem Novaes

Forte defensor do teto, Guedes vem travando uma guerra principalmente como o ministro do Desenvolvimento Regional, que defende o governo gastar mais para bancar obras pelo país.

Segundo o âncora Caio Junqueira, Jair Bolsonaro estaria muito irritado e incomodado com Guedes, após o ministro citar a possibilidade de impeachment do presidente, caso ele fure o teto de gastos. 

Discurso combinado

Em conversa com aliados e interlocutores neste sábado (15), o próprio Guedes desmentiu mal-estar com Bolsonaro. Lembrou que seus discursos recentes foram todos combinados previamente com o presidente.

A um interlocutor, o ministro disse que está no seu papel de alertar o presidente de que furar o teto poderia configurar crime de responsabilidade fiscal e afirmou contar com apoio até da ala militar para o respeito à regra.

Assessores do Planalto, porém, veem Guedes submetido a um processo de “fritura” similar a de outros ex-ministros que deixaram o governo e avaliam precisará mudar a postura se quiser permanecer no cargo.