TSE amplia horário de votação das eleições municipais em uma hora


Murillo Ferrari Da CNN, em São Paulo
28 de agosto de 2020 às 10:51
Funcionária da Justiça Eleitoral instala urna em local de votação

Funcionária da Justiça Eleitoral instala urna eletrônica em local de votação em escola de Brasília

Foto: Ueslei Marcelino - 25.out.2014/ Reuters

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, decidiu na noite de quinta-feira (27) ampliar o horário de votação nas eleições municipais de 2020 em uma hora por conta da pandemia do novo coronavírus.

Neste ano, os eleitores poderão ir às urnas das 7h – uma hora antes do horário padrão anterior – às 17h (considerando o horário local) no primeiro turno, em 15 de novembro, e no segundo turno, em 29 de novembro, onde for necessário.

O objetivo da medida é reduzir a possibilidade de aglomeração nos locais de votação para que os eleitores votem com mais segurança.

“O horário foi definido após análise de estatísticos do tribunal e avaliação de uma consultoria técnica, formada por especialistas do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Insper e Universidade de São Paulo (USP)”, informou o TSE, em seu site.

Assista e leia também:

Se faltar voluntários, Barroso considera convocar militares para eleições

TSE determina divisão proporcional do fundão entre candidatos brancos e negros

TSE veta biometria nas eleições 2020 após recomendação de infectologistas

Eleições 2020: Confira as novas datas do calendário eleitoral

O TSE também definiu que entre 7h e 10h será um horário de votação preferencial para pessoas acima de 60 anos, que fazem parte do grupo de risco para a Covid-19.

"Após ouvirmos os presidentes de Tribunais Regionais Eleitorais e os respectivos diretores-gerais, ficou decidido, por unanimidade, que este horário será de 7 horas da manhã às 17 horas. Não foi possível estender para mais tarde do que isso porque, em muitas partes do Brasil, depois dessa hora, há dificuldade de transporte e há problemas de violência", disse o ministro Barroso.

O presidente do TSE disse ainda que um grupo de empresas e de entidades de classe doará equipamentos de proteção individual, como máscaras, protetores faciais e álcool em gel e spray para quem trabalhar na eleição.

Também haverá álcool em gel para os eleitores higienizarem as mãos em todas as seções eleitorais do país.