Em visita a Fux, Bolsonaro elogia decisão de ministro no caso André do Rap

Presidente também defendeu a indicação de Kassio Nunes ao cargo de ministro do STF

Teo Cury Da CNN, em Brasília
13 de outubro de 2020 às 19:29 | Atualizado 13 de outubro de 2020 às 19:53

O primeiro encontro do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) com o ministro Luiz Fux à frente do Supremo Tribunal Federal (STF) foi marcado por um elogio à decisão do magistrado no caso do traficante André do Rap e pela defesa, por parte do mandatário, do nome do desembargador Kássio Nunes Marques para a Corte, de acordo com fontes ouvidas pela CNN.

Segundo relatos feitos à reportagem, Bolsonaro disse ao presidente do STF que o desembargador Kássio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF-1), é um magistrado experiente e preparado para a vaga. 

Também informou, de acordo com essas fontes, que tudo está encaminhado para sua sabatina na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal na semana que vem. 

Fux não participou das conversas nem foi informado pelo presidente sobre a escolha do desembargador para ocupar a vaga deixada por Celso de Mello, que se aposentou hoje. Bolsonaro consultou os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli, que até setembro presidiu a Corte.

Leia também

Fux deve enviar para o plenário do STF caso de André do Rap

Decisão de Marco Aurélio sobre André do Rap deve ser revertida por ministros

Radar Político: Debate sobre prisão em 2ª instância volta após caso André do Rap

No encontro, segundo relatos, Bolsonaro elogiou Fux pela decisão que suspendeu a ordem de soltura do traficante André Oliveira Macedo, conhecido como André do Rap. 

Fux anulou na noite de sábado uma decisão do ministro Marco Aurélio Mello, que, mais cedo naquele dia, havia determinado a soltura do traficante, um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua dentro e fora dos presídios do estado de São Paulo. 

O encontro aconteceu no gabinete do presidente do STF e durou cerca de 45 minutos. Bolsonaro chegou acompanhado do ministro das Comunicações, Fábio Faria, mas apenas ele e Fux participaram da conversa.

A reunião foi agendada nesta terça-feira a pedido do presidente Jair Bolsonaro. A visita protocolar foi a primeira entre os dois desde que Fux tomou posse como presidente da Corte. Isso porque, logo após a posse, o ministro testou positivo para o novo coronavírus e ficou em isolamento em sua casa. 

Oficialmente, a Assessoria de Comunicação da Presidência do STF informou que Fux apresentou as principais diretrizes da gestão à frente da corte e do Conselho Nacional de Justiça e destacou que pretende fortalecer a vocação constitucional do Supremo.

Também informou que Fux elencou os eixos de sua gestão: a proteção aos direitos humanos e do meio ambiente; a garantia da segurança jurídica conducente à otimização do ambiente de negócios no Brasil; o combate à corrupção, ao crime organizado e à lavagem de dinheiro, com a consequente recuperação de ativos; o incentivo ao acesso à justiça digital.