Aliados tentam convencer Chico Rodrigues a pedir licença do mandato


Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
16 de outubro de 2020 às 16:42


Para tentar fazer uma espécie de “contenção de danos”, aliados de Chico Rodrigues (DEM-RR) estão trabalhando a fim de fazer com que o senador peça licença do mandato e, assim, poupar o Senado de analisar a ordem do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) neste momento.

Na quinta-feira (15), Barroso determinou o afastamento, por 90 dias, de Rodrigues – alvo de busca e apreensão na quarta (14) autorizada pelo magistrado na quarta.

Todos admitem que a situação é, no mínimo, constrangedora. Mas a ordem de afastamento do mandato de um senador, de um parlamentar, por decisão de um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) sempre ativa um espírito de corpo, de autopreservação no Congresso.

O problema é que Chico Rodrigues não tem tanta estatura política quanto outros, que conseguiram reverter ordem semelhantes.

Assista e leia também:

Partidos vão ao Conselho de Ética pela cassação do mandato de Chico Rodrigues

Senador alvo da operação que afastou Chico Rodrigues nega desvios

O suplente de Rodrigues é o filho dele, então a troca, avaliam esses conselheiros, não representaria uma perda de poder real para a família.

Para ampliar o problema, Chico Rodrigues é do mesmo partido de Davi Alcolumbre (DEM-AP), presidente do Senado, que está buscando no Supremo uma autorização para tentar se reeleger no comando da Casa.

Ou seja, Alcolumbre teria de lidar com o desgaste público de salvar um colega pego pela polícia nessa situação e desagradar um ministro que, em algum momento, vai participar do julgamento que vai definir o futuro político dele.