Radar Político: explicação de Salles para tuíte sobre Maia não 'colou'


Da CNN
29 de outubro de 2020 às 13:43 | Atualizado 29 de outubro de 2020 às 13:44

No quadro Radar Político, na CNN Rádio, nesta quinta-feira (29), Fernando Molica e Igor Gadelha falam sobre a explicação do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para o tuíte em que chamava o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) de “Nhonho”.

“Alguns aliados muito próximos do presidente da Câmara disseram que a explicação de Salles – de que sua conta foi usada indevidamente por outra pessoa – ‘não colou’”, disse Gadelha, ressaltando, porém, que Maia não deve responder ao comentário.

Segundo o jornalista, a equipe de Salles teria identificado que um ex-assessor do ministro, que participou de sua campanha a deputado federal, em 2018, como o responsável pela mensagem de ofensa a Maia.

Esse uso não configuraria crime, mas deve ser estudado uma forma de tentar responsabilizar o ex-assessor”, completou.

Assista e leia também:
Salles já teria identificado quem usou seu Twitter para ofender Maia
Após post chamando Maia de 'Nhonho', Salles apaga conta no Twitter

Para Molica, o passado recente de Salles, no entanto, é o principal motivo para a explicação do ministro não ser totalmente acreditada por Maia.

Olha, o passado [de Salles] o condena. Há uma semana ele chamou um colega de ministério, um general, de "banana de pijamas" e "maria fofoca". Ele tem um certo destempero verbal”, disse.

Ele disse que, de fato, é possível que a publicação tenha sido feita pelo ex-assessor de campanha, mas estranhou o fato de Salles não ter mudado sua senha nenhuma vez desde 2018 .

Tudo bem, pode ser que isso tenha ocorrido, mas o passado condena e é preciso explicar bem essa história.”

Cartela Radar Político - Rádio CNN

Igor Gadelha, Caio Junqueira e Fernando Molica comandam o Radar Político, na CNN Rádio

Foto: CNN Brasil