Governador em exercício do RJ, Cláudio Castro não apoiará candidato à prefeitura

Ele declarou que não irá declarar apoio no segundo turno da eleição na capital

Luiza Muttoni, da CNN no Rio de Janeiro
16 de novembro de 2020 às 16:59
O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro
Foto: Luiza Muttoni/CNN (16.nov.2020)


O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), não irá declarar apoio aos candidatos Eduardo Paes (DEM) e Marcelo Crivella (Republicanos), que disputam o segundo turno das eleições municipais na capital fluminense.

A declaração foi feita nesta segunda-feira (16), durante um evento no Palácio Guanabara para assinar o convênio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que incentiva a produção de agricultores fluminenses e disponibiliza alimentação para pessoas em situação de vulnerabilidade social.

“A minha posição é clara. O governador não tem candidato. No caso do Cláudio, o voto é secreto. Que vença o melhor. Vamos trabalhar duramente com quem a população escolher”.

Leia também:

Quem os candidatos derrotados vão apoiar no 2º turno no Rio de Janeiro

Paes e Crivella discursam prometendo comparar gestões no segundo turno

Também presente na cerimônia, o ,inistro da Cidadania, Onyx Lorenzoni (DEM), disse que preferia não se manifestar.

No entanto, ele falou sobre o apoio do partido a uma possível candidatura do presidente Jair Bolsonaro nas eleições presidenciais de 2022: “Tenho um dever de lealdade absoluto para com o presidente [...] Não tirei da minha mente a possibilidade de que o DEM caminhe ao lado dele, como poderia ter caminhado em 2018 e não caminhou, e pode caminhar em 2022. Tem muita coisa pra acontecer”.

Há a possibilidade de que o DEM lance uma candidatura própria, com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, como representante do partido.

“O presidente Rodrigo Maia, por quem eu tenho muito respeito, tem a sua própria opinião. Eu sou tão membro do partido quanto ele e tenho a minha, e muitos companheiros pensam igual a mim. Essa decisão será tomada no futuro”, concluiu.