Rezende: Fux e Barros têm razão em declarações sobre pautas travadas

No quadro Liberdade de Opinião, Sidney Rezende comentou declarações sobre pautas travadas no Congresso

Da CNN
18 de novembro de 2020 às 11:11


O líder do governo na Câmara dos Deputados, Ricardo Barros (PP-PR), e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, divergiram sobre o que tem atrasado a pauta no Congresso. Barros criticou o Ministério Público e o Judiciário, enquanto Fux fez críticas sobre a judicialização de problemas do Legislativo. No quadro Liberdade de Opinião desta quarta-feira (18), Sidney Rezende comentou o posicionamento de ambos. Para o jornalista, tanto Barros quanto Fux estão certos em suas declarações.

"Nós tivemos de um lado o deputado Barros dizendo que órgãos do aparelho Judiciário estão atrapalhando o bom funcionamento político. Ele disse também que esses órgãos estão agindo de maneira ativista, predatória, atrapalhando a política, porque o que ele gostaria é que não houvesse impedimento de liberação de verbas do governo para deputados investirem em suas bases eleitorais. É essa a reclamação dele. Tudo o que se puder discutir no âmbito da política sem precisar ir para a Justiça, é o ideal, ele está certo nesse aspecto", disse Rezende.

Leia também:

Reformas serão discutidas após eleições municipais, diz líder do governo
Maia diz desconhecer pauta de votações anunciada pelo líder do governo
Se as pautas não forem votadas até janeiro, dólar bate R$ 7, diz Rodrigo Maia

"Agora, o Fux diz que o Supremo é provocado e só respondem quando tem provocação. Isso me lembra na escola quando um garoto fala para a professora que outro pegou a sua caneta e, depois da professora fazê-lo devolver, ele manda a língua para o coleguinha. Muitas vezes no Congresso os partidos vão recorrer, não só quando perdem, recorrem até antes para que o Supremo faça o papel de professora. Desnecessário, vamos ser mais adultos e menos infantilizados", concluiu.

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

(Publicado por Leonardo Lellis)