Bolsonaro volta a citar extração ilegal de madeira, mas não aponta culpados


Da CNN, em São Paulo
19 de novembro de 2020 às 21:41 | Atualizado 19 de novembro de 2020 às 22:49

 

Na transmissão que faz todas as quintas-feiras pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) focou o discurso na extração - legal e ilegal - de madeira mas não citou os países que se beneficiariam da atividade ilícita, uma promessa que ele havia feito no início da semana.

Bolsonaro estava acompanhado do ministro da Justiça, André Mendonça, e chamou de “jogo econômico” quando países tentam criar sanções comerciais a outros países que realizam o desmatamento. 

Leia também

Fernando Molica: Bolsonaro tem que mostrar lista de quem compra madeira ilegal

Jair Bolsonaro participa da reunião de cúpula do Brics

Cúpula do Brics: Bolsonaro diz que OMS e OMC necessitam de reformas

Segundo o presidente, isso seria uma forma de enfraquecer o agronegócio no Brasil.

Na última terça-feira (17), durante a reunião com os chefes de estado que fazem parte do Brics, Jair Bolsonaro disse que pretendia divulgar os nomes de países que compram madeira ilegal do Brasil.

Nesta quarta-feira (19) ele voltou a fazer a mesma afirmação, mas disse que não iria culpa os países, mas as empresas.

(Publicada por Sinara Peixoto)