Alcolumbre segura há 1 mês convocação de suplente do caso do dinheiro na cueca


Igor Gadelha
Por Igor Gadelha, CNN  
20 de novembro de 2020 às 11:59 | Atualizado 20 de novembro de 2020 às 18:13

Flagrado pela Polícia Federal com dinheiro escondido na cueca, o senador Chico Rodrigues (DEM-RR) completou nesta sexta-feira (20) um mês que tirou licença do cargo.

Até agora, porém, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), não convocou o primeiro suplente, que vem a ser o filho do parlamentar. 

Assista e leia também

PF investiga eventuais crimes financeiros de cúpula do Aliança

Bolsonaro volta a citar extração ilegal de madeira, mas não aponta culpados

Segundo fontes da Mesa Diretora do Senado, embora tenha que chamar o suplente, pois a licença de Rodrigues foi superior a 121 dias, Alcolumbre não tem pressa em convocar o suplente.

Não quer trazer o caso à tona novamente. O próprio filho do senador também estaria resistindo, com temor de virar alvo de ataques políticos.

De acordo com o regimento interno do Senado, a convocação de suplentes é atribuição do presidente da Casa. Pelas regras, o suplente tem até 30 dias para assumir o mandato.

Esse prazo, porém, só passa a contar após ele ser oficialmente convocado. Se não assumir nesse período, o Senado deve convocar o segundo suplente.

Veja também: Senado aprova ajuda para afetados pelo apagão no Amapá