TSE desmente boatos que circulam na web sobre anulação da eleição em municípios


Gabriela Coelho e Gabrielle Varela, da CNN, em Brasília
20 de novembro de 2020 às 14:56

O Tribunal Superior Eleitoral esclareceu nesta sexta-feira (20) que são falsas mensagens que circulam em redes sociais e afirmam que as eleições do último domingo (15) foram anuladas em algumas cidades por suspeita de fraude na urna eletrônica.

“Nunca houve, desde o início do uso das urnas eletrônicas, em 1996, constatação de fraude em resultados com a utilização do equipamento”, afirmou o TSE por meio de nota. 

O TSE explicou ainda que a urna não tem conexão à internet ou via bluetooth, o que já elimina possibilidade de ataque por hackers. 

Leia e assista também

Polícia Federal abre inquérito para apurar ação de hacker no TSE

'Fraude havia com voto impresso', diz Barroso sobre segurança da urna eletrônica

'Ataque massivo' ao TSE veio do Brasil, EUA e Nova Zelândia, afirma corte

“A urna possui mais de 30 camadas de segurança encadeadas para dificultar a fraude. Há lacres de segurança que mostram qualquer tentativa de violação”, de acordo com a corte. 

Segundo o TSE, antes das eleições, as urnas são expostas a hackers e especialistas que queiram testar sua segurança. 

“Ao final da votação, o resultado de cada urna é impresso em cinco vias - uma delas fixada na própria seção eleitoral - e qualquer cidadão pode ter acesso por meio do Boletim de Urna (BU) divulgado no site do TSE ou mediante pedido ao juiz eleitoral. O resultado divulgado pode ser comparado com os boletins impressos”, concluiu a nota.