Quem quiser usar o e-Título no domingo só poderá baixá-lo até sábado

Após as 23h59 deste sábado, o eleitor poderá fazer o download do app, mas a habilitação das funcionalidades da plataforma não estará mais disponível

Jéssica Otoboni, da CNN, em São Paulo
27 de novembro de 2020 às 09:31 | Atualizado 27 de novembro de 2020 às 09:33
O e-Título pode ser utilizado para se identificar na seção eleitoral, caso o eleitor tenha registrado a biometria
Foto: Reprodução / Justiça Eleitoral

O aplicativo e-Título, uma via digital do título de eleitor, poderá ser baixado até 23h59 deste sábado (28), véspera do segundo turno das eleições municipais 2020, para quem quiser utilizá-lo no domingo (29). Após esse horário, a habilitação das funcionalidades da plataforma não estará mais disponível.

Assista e leia também:
Que medidas o TSE tomou para evitar novos problemas no segundo turno da eleição
Não votei no primeiro turno, posso votar no segundo?
Tentativa de ataque foi neutralizada pelo TSE e operadoras, diz Barroso

O objetivo é tentar garantir um melhor funcionamento do serviço no dia da eleição. No primeiro turno, o app apresentou instabilidades em razão do alto número de acessos.

Desenvolvida pela Justiça Eleitoral, a ferramenta permite aos eleitores acessar o local de votação, consultar a situação eleitoral e justificar a ausência no dia da eleição. Além disso, ela também pode ser utilizada para se identificar na seção eleitoral, caso a pessoa tenha registrado a biometria.

No domingo, quem não tiver baixado o aplicativo, não poderá acessar os serviços disponíveis. Os eleitores poderão apenas baixar o app e atualizar a versão, sem acesso aos recursos. O e-Título volta ao funcionamento normal na segunda-feira (30).

Segundo o Tribunal de Justiça Eleitoral (TSE), há cerca de 16 milhões de eleitores cadastrados no e-Título, o que corresponde a 10% do eleitorado brasileiro. No primeiro turno, mais de 2,2 milhões de pessoas justificaram a ausência por meio da ferramenta. 

O aplicativo está disponível para download nas lojas Google Play (Android) e App Store (iOS). Para validá-lo, é preciso preencher os dados solicitados. Se houver qualquer discordância de informação com as registradas no cadastro eleitoral, o sistema não aprovará a solicitação de emissão e o eleitor não poderá utilizar o app.