Em crise no Supremo, Fux mira no apoio da PF e defende Lava Jato

Fux foi convidado pela Polícia Federal para participar de um evento com cursandos na sede da Academia Nacional, em Brasília.

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
11 de dezembro de 2020 às 11:56 | Atualizado 11 de dezembro de 2020 às 11:56

Depois de votar contra a reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Luiz Fux, vai mirar, nesta sexta-feira, em outro tema que divide a corte: a Lava Jato.

Fux foi convidado pela Polícia Federal para participar de um evento com cursandos na sede da Academia Nacional, em Brasília.

Leia e assista também

Fux pede destaque e ações sobre vacinas no STF serão julgadas no plenário físico

‘Não sou do clube do Bolinha’, diz Marco Aurélio sobre interpretar Constituição

O objetivo é falar aos futuros delegados e peritos sobre a importância do combate à corrupção e apontar a Lava Jato como o maior exemplo disso.

A atuação da Lava Jato divide opiniões no STF, inclusive com duras críticas de ministros que se colocam no grupo oposto ao de Fux. Gilmar Mendes, Dias Tofolli e Ricardo Lewandowski estão entre os ministros que já apontaram, sem rodeios, o que consideram excessos da operação que, desde 2014, já prendeu políticos, empresários e banqueiros.

O clima no STF não está dos melhores. Fux tem aproveitado discursos recentes para marcar posição, como forma de reafirmar que ele é o presidente do tribunal.