Em campanha pela presidência, MDB do Senado negocia entrada de novos senadores

Rose de Freitas, do Podemos, e Veneziano Vital do Rêgo, do PSB, estão em negociação com o partido

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
24 de dezembro de 2020 às 10:30
Senadora Rose de Freitas e senador Veneziano Vital do Rêgo
Foto: Waldemir Barreto e Nilson Bastian/Agência Senado 

Na disputa pela presidência da casa, o MDB do Senado está em negociação para trazer dois novos senadores para a bancada. Rose de Freitas, do Podemos, e Veneziano Vital do Rêgo, do PSB.

Rose era deputada do MDB e saiu para se candidatar ao Senado pelo Podemos. Já Veneziano é irmão do ex-senador emedebista Vital do Rêgo, hoje ministro do Tribunal de Contas da União.

Leia também:
Racha em partidos da oposição persiste mesmo após candidatura de Baleia Rossi
CPIs e veto à pauta de costumes: as exigências da oposição para Baleia Rossi
Para cientista político, 'só aprovação de reformas tira o Brasil do atoleiro'

A bancada, que já é a maior da casa, aumentaria de 13 para 15 cadeiras. Isso daria ainda mais musculatura ao velho MDB, que visualiza como reais as chances de voltar a comandar tanto a Câmara quanto o Senado em 2021. Nesta quarta-feira, o líder do MDB Baleia Rossi teve a candidatura anunciada.

O líder do partido no Senado, Eduardo Braga, afirmou à CNN que o lançamento do nome em uma casa não inviabiliza a outra. O senador também considera que as duas candidaturas têm roupagens diferentes.

"O que aconteceu na Câmara é uma coisa suprapartidária. Não é uma questão partidária. A decisão do MDB do Senado é da bancada, que é majoritária", afirmou à coluna.

Braga disputa a preferência em seu partido para que ele seja o candidato do MDB.

Outro senador emedebista, que também se considera no páreo, avalia que o partido, segundo ele, nunca cantou junto nas duas casas. "Câmara e Senado não é Chitãozinho e Xororó", ironiza. "O assunto é gourmet. No Senado é assado. Na Câmara é frito", afirmou na tentativa de explicar por que as articulações entre os senadores costumam ser mais lentas do que entre os deputados.