'Fichas-sujas' recorrem ao STF para tomar posse na prefeitura

Adair Henriques e Cacique Marquinhos recorreram ao Supremo Tribunal Federal para tentar assumir o cargo na prefeitura

Agência Estado
02 de janeiro de 2021 às 08:59 | Atualizado 02 de janeiro de 2021 às 09:05
O ministro Kassio Nunes Marques
O ministro Kassio Nunes Marques
Foto: Fellipe Sampaio - 05.nov.2020 / SCO - STF


Dois candidatos a prefeito enquadrados como "fichas-sujas" recorreram ao Supremo Tribunal Federal (STF) para tentar assumir o cargo, depois que uma decisão do ministro Kassio Nunes Marques esvaziou a Lei da Ficha Limpa - e mesmo depois de o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, ter decidido suspender essa iniciativa para cinco casos de "fichas-sujas", alegando que é preciso aguardar decisão definitiva do plenário do STF.

Um deles é o prefeito eleito de Bom Jesus de Goiás, Adair Henriques (DEM). O outro é Cacique Marquinhos (Republicanos), vitorioso em Pesqueira, em Pernambuco.

Leia também:

Nunes Marques suspende trecho da Lei da Ficha Limpa

STF prorroga medidas excepcionais contra a Covid-19

O primeiro foi condenado por delito contra o patrimônio público em segunda instância, em 2009. E Marquinhos foi enquadrado na Lei da Ficha Limpa por causa de uma condenação em 2015 pelo crime de incêndio.

Com a indefinição, os dois municípios serão comandados pelo presidente da Câmara Municipal.