Após decisão da Justiça, defesa de Lula pede à PF acesso a mensagens hackeadas

Advogados pedem que sejam indicados 'a data e o horário' para 'obter cópia do material apreendido'

Thais Arbex
Por Thais Arbex, CNN  
05 de janeiro de 2021 às 12:46 | Atualizado 05 de janeiro de 2021 às 21:13

 

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva solicitou à Polícia Federal, na manhã desta terça-feira (5), acesso a mensagens apreendidas no âmbito da Operação Spoofing.

Em ofício ao qual a CNN teve acesso, os advogados de Lula pedem ao delegado Luís Flávio Zampronha, que comanda a operação, e também ao superintendente da PF do Distrito Federal, Márcio Nunes de Oliveira, que sejam indicadas “a data e o horário” para “obter cópia do material apreendido, “com a urgência estabelecida pelas decisões” judiciais.

Leia também:
Justiça concede a Lula acesso a mensagens hackeadas da Lava Jato
Alexandre Garcia: 'Supremo tem sido o poder absoluto, uma monocracia'
Impeachment de Bolsonaro fica de fora de negociação de Baleia com a oposição

A operação mirou hackers que invadiram aparelhos telefônicos de autoridades brasileiras, entre elas o ex-ministro Sergio Moro e o ex-coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol.

Como mostrou o analista da CNN Caio Junqueira, na noite desta segunda-feira (4), o juiz Gabriel Zago Capanema Vianna de Paiva, plantonista responsável pela 10ª. Vara Federal do Distrito Federal, determinou que a defesa de Lula tenha acesso ao material.

A decisão do juiz plantonista aconteceu após o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), mandar a 10ª Vara Federal do Distrito Federal cumprir imediatamente a decisão em que ele concedeu à defesa de Lula o direito de ter acesso a mensagens apreendidas no âmbito da Operação Spoofing, da Polícia Federal.

Mesmo após o primeiro despacho de Lewandowski, do último dia 28, o juiz federal Waldemar Cláudio de Carvalho, que respondia pelo plantão judiciário da 10ª Vara, negou acesso aos documentos.

Além do ofício enviado à Polícia Federal nesta manhã, a defesa de Lula também fez uma comunicação formal ao ministro do Supremo. “A defesa técnica do reclamante aguarda do Exmo. Sr. Delegado de Polícia Federal Dr. Luís Flávio Zampronha ou de outro ilustre membro da Polícia Federal, a designação de dia e horário para obter cópia do material apreendido na aludida operação, nos moldes em que fora determinado por Vossa Excelência”, escreveram os advogados.

O acesso às mensagens foi concedido em um processo em que a defesa do ex-presidente Lula questiona a ocultação, pela Lava Jato, de documentos relativos à leniência da Odebrecht. Mesmo após três decisões do Supremo, a Lava Jato ainda não concedeu aos advogados acesso pleno ao material.