Justiça dá 72h para Planalto explicar sigilo em cartão de vacinação de Bolsonaro

Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, entrou com ação para que governo retire o sigilo

André Rigue, da CNN, em São Paulo
12 de janeiro de 2021 às 12:45 | Atualizado 13 de janeiro de 2021 às 07:22

 

A 20ª Vara Federal de Brasília determinou nesta terça-feira (12) que o Planalto explique em 72 horas sobre o sigilo pelo prazo de 100 anos imposto à carteira de vacinação do presidente da República, Jair Bolsonaro.

O pedido foi apresentado pela presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), Gleisi Hoffmann.

Leia também:
'Faltou à Ford dizer a verdade: eles querem subsídios', afirma Bolsonaro
Confira quais documentos serão necessários para receber vacina contra a Covid-19
Mundo não terá imunidade de rebanho contra a Covid-19 em 2021, diz OMS

O sigilo foi decretado após pedido de acesso à carteira de vacinação por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI) pela revista Época.

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom) afirmou que o sigilo atendeu aos critérios da LAI e citou o artigo 31 da norma, pelo qual "o tratamento das informações pessoais deve ser feito de forma transparente e com respeito à intimidade, vida privada, honra e imagem das pessoas, bem como às liberdades e garantias individuais".

Ainda de acordo com o texto repassado pela Secom, "as informações pessoais, a que se refere este artigo, relativas à intimidade, vida privada, honra e imagem: terão seu acesso restrito, independentemente de classificação de sigilo e pelo prazo máximo de 100 (cem) anos a contar da sua data de produção, a agentes públicos legalmente autorizados e à pessoa a que elas se referirem".

(Com informações do Estadão Conteúdo)