A relação Brasil-China e a corrida pelos insumos das vacinas

Da CNN, em São Paulo
25 de janeiro de 2021 às 05:30 | Atualizado 25 de janeiro de 2021 às 14:47

A lista de atritos entre o governo brasileiro e o chinês se tornou extensa nos últimos dois anos. Em um episódio, o deputado Eduardo Bolsonaro acusou o país asiático de ser culpado pela pandemia. Em outro, o filho do presidente acusou o país asiático de querer espionar o Brasil por meio da Huawei e da instalação do 5G. O fato é que agora a conta dessa rusga parece estar chegando: especialistas e mesmo integrantes do governo já cogitam que a demora na entrega de insumos para a produção da vacina pode ter um fundo de retaliação política. 

Neste episódio do E Tem Mais, Monalisa Perrone conversa sobre os entraves na exportação de insumos chineses e a motivação por trás deles. Para entender como a demora na fabricação de novas doses pode atrasar o plano de imunização, a conversa é com Karina Bortoluci, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Imunologia. Na segunda parte, o especialista em relações China e América Latina Thiago de Aragão explica as mudanças recentes na diplomacia brasileira, e como esse episódio das vacinas pode mudar a condução da nossa política exterior.

Leia e assista também:

Após restringir alimentos importados, China tem foco de Covid-19 em frigorífico

Avião com vacinas de Oxford para o Brasil decola da Índia

Bahia vai buscar interessados na China pela fábrica da Ford em Camaçari

Conheça os podcasts da CNN Brasil:

CNN Mundo

5 Fatos

Abertura de Mercado

Horário de Brasília

Na Palma da Mari

O Que Eu Faço?

Todo o conteúdo da grade digital da CNN Brasil é gratuito.

(Publicado por Amauri Arrais)

O podcast E Tem Mais, com Monalisa Perrone, episódios de segunda a sexta
Foto: CNN Brasil