Centrão planeja cobrar cargos de Bolsonaro no dia seguinte à eleição da Câmara

Partidos do bloco vão se reunir com Bolsonaro no dia seguinte à eleição no Congresso para tratar da distribuição de cargos para as siglas que apoiaram Lira

Da CNN, em São Paulo
28 de janeiro de 2021 às 17:11 | Atualizado 28 de janeiro de 2021 às 17:23

A tendência da eleição para a presidência da Câmara dos Deputados é que Arthur Lira (PP-AL) vença o pleito e seja escolhido para comandar a Casa.

Caso isso aconteça, os partidos que apoiaram o parlamentar já tem reunião marcada com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para cobrar o cumprimento dos acordos que levaram as siglas a apoiar Lira, candidato de confiança do presidente. A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

Partidos do centrão vão se reunir com Bolsonaro no dia seguinte à eleição no Congresso para discutir a distribuição de cargos para as siglas e a tendência é que isso desencadeie uma reforma ministerial.

Os presidentes de partidos do centrão dizem que a vitória de Lira vai dar respiro a Bolsonaro, mas que todos sabem que ela não pode ser creditada ao presidente. Em troca desse respiro político, o presidente será cobrado por uma reforma ministerial

Segundo fontes, Marcos Pereira, presidente do Republicanos e deputado federal, está cotado para liderar um novo ministério que seria criado com a reforma ministerial. O deputado já trabalhou no Ministério do Desenvolvimento Econômico e do Comércio Exterior.

Bolsonaro com o líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (PP-AL)
Foto: Reprodução

Publicado por Guilherme Venaglia