Maia envia pedido de desculpas a Ramos e nega ter falado em abrir impeachment

Presidente da Câmara dos Deputados negou que tenha ameaçado iniciar abertura de um processo contra Jair Bolsonaro

Por Igor Gadelha, CNN  
28 de janeiro de 2021 às 09:59 | Atualizado 28 de janeiro de 2021 às 10:31


O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), negou à CNN ter ameaçado abrir um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro durante conversa por telefone com o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, na terça-feira (26).

Na ligação, segundo relatos feitos à CNN, Maia reclamou da interferência do Palácio do Planalto na eleição para presidência da Câmara em apoio à candidatura do deputado Arthur Lira (PP-AL) e teria mencionado a questão do impeachment.

 

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

“Não falei de impeachment e fui grosseiro, de fato”, disse Maia. O deputado afirmou que já enviou pedido de desculpas a Ramos. “Como ele não ia me atender, pedi que uma pessoa ligasse para ele, que deixasse registrado que de fato elevei o tom demais, de forma desnecessária”.

Pela Constituição, cabe ao presidente da Câmara decidir, de forma monocrática, se autoriza ou não a abertura de um processo de impeachment contra o presidente da República. Depois, o pedido é submetido ao plenário e precisa de apoio de 342 dos 513 deputados para seguir para o Senado.