Após eleição no Congresso, governo deve indicar político para ministro palaciano

Nome de Onyx Lorenzoni é cotado para Secretaria Geral da Presidência

Basília Rodrigues
Por Basília Rodrigues, CNN  
29 de janeiro de 2021 às 09:13 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 09:14
O ministro da Cidadania Onyx Lorenzoni durante entrevista coletiva em Brasília
Foto: Júlio Nascimento/PR (7.mai.2020) 

Após o Congresso eleger os novos presidentes da Câmara e do Senado, o Planalto deve indicar um político para a cadeira de ministro da Secretaria Geral da Presidência. O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, é o principal cotado. Para a vaga dele, iria o nome de alguém do Republicanos, partido que abrigou os filhos do presidente Flávio e Carlos Bolsonaro, depois da desfiliação do PSL.

Inicialmente, o governo avaliava indicar o almirante Flávio Rocha, atual secretário de assuntos estratégicos, para o cargo de ministro.

 

A secretaria geral da presidência tem status de ministério e é considerada um dos cargos de maior confiança no Planalto. O perfil de um político para o cargo recuperaria o papel de articulação junto ao Congresso - reforçando o time de negociadores do Planalto com a base aliada.

Outras mudanças

A reforma ministerial que aliados do governo pedem virá também após a definição do comando do Congresso. As mudanças ainda estão sendo definidas.

Apesar da pressão para mudar ministros como Eduardo Pazuello, da Saúde e Ernesto Araújo, de Relações Exteriores, o presidente Bolsonaro resiste.