Centrão já mira comando de eventual Ministério do Esporte

Em evento com esportistas nesta sexta-feira (29), Bolsonaro admitiu que pode recriar os ministérios do Esporte, da Cultura e da Pesca

Por Igor Gadelha, CNN  
29 de janeiro de 2021 às 17:37 | Atualizado 29 de janeiro de 2021 às 17:42
Partidos já se articulam caso o presidente da República decida, de fato, recriar a pasta
Foto: Adriano Machado - 07.set.2020 / Reuters

Caciques do Centrão já se articulam, nos bastidores, para tentar indicar o futuro ministro do Esporte do governo Jair Bolsonaro, caso o presidente da República decida, de fato, recriar a pasta.

Em evento com esportistas nesta sexta-feira (29), Bolsonaro admitiu que pode recriar os ministérios do Esporte, da Cultura e da Pesca, caso seus candidatos vençam a eleição para as presidências da Câmara e do Senado.

"Se tiver um clima no Parlamento, pelo o que tudo indica as duas pessoas que nós temos simpatia devem se eleger, não vamos ter mais uma pauta travada, a gente pode levar muita coisa avante, quem sabe até ressurgir os ministérios, esses ministérios", afirmou Bolsonaro.

As três áreas hoje têm apenas status de secretaria especial. O Esporte está vinculado ao Ministério da Cidadania, que, como a CNN noticiou na semana passada, também deve ser alvo da reforma ministerial.

Um dos principais partidos do Centrão interessados no comando do eventual Ministério do Esporte é o Progressistas, legenda que tem o deputado Arthur Lira (AL) como candidato a presidente da Câmara.

Para o cargo, a sigla quer indicar a deputada federal Celina Leão (PP-DF). A parlamentar foi secretária de Esporte e Lazer do governo do Distrito Federal até o dia 11 de dezembro, quando retomou o mandato na Câmara.

Já os eventuais ministérios da Pesca e da Cultura o Centrão avalia ser mais difícil de conseguir, por acreditar que Bolsonaro deve dar o comando das pastas aos atuais secretários Seif Júnior e Mário Frias, respectivamente.

Responsável por comandar o Bolsa Família, o Ministério da Cidadania, por sua vez, deve ir para o Republicanos, sigla que desistiu de candidatura própria à presidência da Câmara para apoiar Lira, nome favorito do Planalto.

A pasta é comandada atualmente pelo ministro Onyx Lorenzoni. Nesse cenário, segundo fontes do Planalto, Onyx seria transferido para a Secretaria-Geral da Presidência, que tem status de ministério.