Mensagens dão fôlego à ala que critica Lava Jato no STF

O ministro Lewandowski compartilhou nesta segunda-feira (1º) com outros ministros da corte o conteúdo de mensagens obtidas por um hacker na Operação Spoofing

Da CNN, em São Paulo
02 de fevereiro de 2021 às 19:04


 

Alguns ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) avaliam que o pacote de mensagens obtido através da operação Spoofing da Polícia Federal explicita o movimento de cooperação entre o ex-juiz Sergio Moro e os procuradores que trabalharam na Operação Lava Jato de Curitiba. A informação é da âncora da CNN Daniela Lima.

As mensagens reforçam a ala do STF que critica os métodos da Lava Jato e ministros escutados pela reportagem avisam que conteúdo do material pode não só afetar o caso Lula, mas abrir caminho para outros questionamento relacionados à cooperação internacional ilegal e negociações irregulares de acordos de delação premiada.

O ministro Ricardo Lewandowski compartilhou nesta segunda-feira (1º) com outros ministros da corte o conteúdo de mensagens obtidas por um hacker sobre integrantes da força-tarefa da Lava Jato de Curitiba.

 

Integrantes do Supremo avaliam ainda que o pacote de mensagens complica a reputação de integrantes da Lava Jato da procuradoria e do judiciário.

A defesa do ex-presidente Lula obteve vitória na justiça e teve acesso a parte das mensagens. Com as provas, a defesa quer anular condenações contra ele sob alegação de que Moro foi parcial no julgamento contra o ex-presidente, atuando ao lado dos procuradores da Lava Jato.

Moro falou nesta segunda-feira (1º) sobre as mensagens e disse que elas foram obtidas por meios criminosos através de ataque hacker e que não reconhece a autenticidade do material. O ex-juiz também lamentou o uso do material em processos que ignoram a origem ilícita das mensagens.

Supremo Tribunal Federal (STF)
Sede do Supremo Tribunal Federal (STF), em Brasília
Foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil