Governadores se reúnem com ministro Pazuello na próxima terça-feira

Estados querem posicionamento de Eduardo Pazuello sobre prazos para importação de doses de prontas, de insumos e também para novos contratos

Natália André e Tainá Falcão, da CNN, em Brasília e São Paulo
05 de fevereiro de 2021 às 20:35 | Atualizado 05 de fevereiro de 2021 às 20:54
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Manaus
O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, em Manaus
Foto: Divulgação/Caio de Biasi/MS

O Fórum de Governadores marcou reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para a próxima terça-feira (9). Os chefes dos executivos estaduais haviam mandado uma carta ao general, no dia 31 de janeiro, que ainda não tinha sido respondida até esta sexta-feira (5). 

O documento, que solicitava o encontro, foi assinado por 26 governadores. O único a não assinar foi o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB).

Eles querem ouvir da pasta os cronogramas atualizados de chegada de doses prontas, da importação de insumos para a produção nacional das vacinas de Oxford (Fiocruz) e da Coronavac (Instituto Butantan), e de novos contratos.

Encontro com Embaixada da China

Nesta sexta-feira (5), 25 estados foram representados em reunião, por videoconferência, com o embaixador da China, Yang Wanming.

Na conversa, ficou esclarecido que, além do que a China já entregou de doses prontas e insumos para a produção nacional, e também da primeira remessa de IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) da vacina de Oxford (Fiocruz), que chega neste sábado (6), virão mais três lotes de IFA em fevereiro.

Com isso tudo, até março, 10% da população brasileira vai poder ser vacinada. 

De acordo com o Fórum, com o apelo dos governadores, em relação às altas taxas de internações e mortes pela doença, a Embaixada ficou de acelerar a chegada de mais IFAs, que estavam previstos para junho e julho. Isso pode acontecer, agora, entre março e abril. Com essas novas remessas, o Brasil terá imunizante para 25% da sua população.