Deputados do PSDB reagem a Doria e marcam almoço com Eduardo Leite

Segundo parlamentares tucanos, a ideia é usar a reunião para pedir ao governador gaúcho que se movimente para se candidatar à Presidência

Por Igor Gadelha, CNN  
09 de fevereiro de 2021 às 19:29 | Atualizado 10 de fevereiro de 2021 às 18:16

Um grupo de deputados federais do PSDB reagiu às articulações para o governador paulista, João Doria, assumir a presidência nacional do partido e marcou um almoço com o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, nesta quinta-feira (11), em Porto Alegre.

Segundo parlamentares tucanos, a ideia é usar a reunião para pedir ao governador gaúcho que se movimente para se viabilizar como o candidato do PSDB à Presidência da República nas eleições de 2022, o que atrapalharia os planos de Doria.

A articulação com Leite é coordenada principalmente pelos aliados do deputado Aécio Neves na sigla. O grupo de Aécio ficou irritado não só com a articulação de Doria para assumir o comando do PSDB como para expulsar o deputado mineiro do partido.

“O governador Doria, que é homem de inegáveis qualidades, mais uma vez não foi bem politicamente. Ele tem que conquistar a simpatia do partido, e não buscar tomar para si a presidência como meio de evitar prévias ou preferências de membros do partido por outros nomes, como do governador Eduardo Leite”, disse à CNN o deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG).

“Ele (Doria) criou um problema artificial dentro do PSDB em torno de Aécio para convencer a todos da conveniência de se tornar presidente nacional da sigla”, emendou Abi-Ackel, que é um dos principais aliados de Aécio na sigla. Segundo o parlamentar, ao menos oito deputados devem participar do almoço com Leite.

Procurado, Doria afirmou à coluna que a possibilidade de ele assumir a presidência do PSDB foi sugerida por outros integrantes do PSDB e que esse tema não teria sido tratado no jantar que o governador organizou com caciqueis tucanos nesta segunda-feira (8).

“Respondo pelo que eu falo. Não falei nem tratei de presidência do PSDB nem de candidatura. Não eram temas da reunião. O tema era e foi aprovado: o PSDB será partido de oposição ao governo Bolsonaro”, afirmou o governador paulista.

Procurado, Eduardo Leite não respondeu.