Em diálogo, Lava Jato comentou vazamento de dados de Flávio Bolsonaro

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
26 de fevereiro de 2021 às 20:30 | Atualizado 26 de fevereiro de 2021 às 21:49
O senador Flávio Bolsonaro
O senador Flávio Bolsonaro
Foto: Adriano Machado/Reuters (20.mar.2019)

Diálogos de um grupo da Operação Lava Jato que foi hackeado mostram que os procuradores comentaram o vazamento de dados do senador Flávio Bolsonaro quando ele era deputado estadual e foi alvo da Operação Furna da Onça.

O teor dos diálogos foi publicado pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e confirmado pela CNN. A troca de mensagens ocorreu no dia 22 de janeiro de 2019 no chat “Filhos de Januário”.

O coordenador da Força Tarefa da Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, diz: "Identificamos a fonte do vazamento dos dados da família Bolsonaro!! COAF e MP juntos! (sic)". Na sequência, o procurador Roberson Pozzobon afirma: "Hahahaha", seguido pela procuradora Jerusa Viecili: "Kkkkkk”".

Dois dias depois, em 24 de janeiro, aparece mais um diálogo sobre o assunto. A procuradora Jerusa Viecili compartilha um link com uma reportagem do portal G1 intitulada “Coordenador da Lava Jato na PGR critica pedido de Flavio Bolsonaro ao STF e sai em defesa do Coaf”.

Rovberson comenta: “Caraaaaaca. Essas aspas vão esquentar o trem (sic)”. Laura Tessler arremata: "Raquel deve estar dando pulos de 100m.", em referência a então procuradora geral da República, Raquel Dodge.