Ciro, Leite, Amoêdo, Doria, Mandetta e Huck assinam 'manifesto pela democracia'

Proposta pelo ex-ministro da Saúde, carta foi assinada por lideranças políticas de PSDB, PDT e do Partido Novo

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
31 de março de 2021 às 20:21 | Atualizado 31 de março de 2021 às 21:39

Um grupo de seis lideranças políticas, de diferentes partidos, se reuniram na noite desta quarta-feira (31) e formularam um "manifesto pela consciência democrática". O coletivo afirmou que "a democracia brasileira é ameaçada" três décadas depois da promulgação da Constituição de 1988, sem especificarem a origem desta ameaça.

Os seis signatários são: o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM), que propôs o movimento, o ex-ministro da Fazenda Ciro Gomes (PDT), o governador de São Paulo João Doria (PSDB), o governador do Rio Grande do Sul Eduardo Leite (PSDB), o empresário João Amoêdo (Novo) e o apresentador Luciano Huck, hoje sem partido.

Os políticos não citam uma possível candidatura para 2022, apesar de todos serem críticos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e nomes possivelmente cotados para concorrer ao pleito. Ciro já disputou a Presidência três vezes, a última em 2018, quando Amoêdo também concorreu.

Em entrevista à colunista da CNN Renata Agostini, o governador Eduardo Leite disse que a reunião em torno do manifesto pode resultar em uma candidatura única a presidente em 2022. 

"Sem duvida nenhuma é um passo importante na aproximação entre esses atores. O entendimento de possiveis candidaturas do centro passa pelo entendimento de principios, dos valores que nos unem e passa depois para discussao de projetos de agenda para o pais, podendo culminar na reuniao, sem duvida nenhuma, em torno de uma candidatura especifica. por que nao?
essa é a intenção e vejo genuina disposição de varios desses nomes para que isso aconteça", disse Leite à CNN.

"A Democracia é o melhor dos sistemas políticos que a humanidade foi capaz de criar. Liberdade de expressão, respeito aos direitos individuais, justiça para todos, direito ao voto e ao protesto. Tudo isso só acontece em regimes democráticos. Fora da Democracia o que existe é o excesso, o abuso, a transgressão, o intimidamento, a ameaça e a submissão arbitrária do indivíduo ao Estado", afirmam os seis.

Ligados a movimentos políticos distintos, os seis evocam o movimento das Diretas Já, que protestou em favor de eleições diretas para a Presidência da República durante a transição da ditadura militar para o regime democrático. Ao final, a emenda da eleição direta foi rejeitada, mas um dos líderes do movimento, Tancredo Neves, foi eleito indiretamente como presidente.

Ciro, Leite, Amoêdo, Doria, Mandetta e Huck assinam 'manifesto pela democracia'
Foto: CNN Brasil

"A conquista do Brasil sonhado por cada um de nós não pode prescindir da Democracia. Ela é nosso legado, nosso chão, nosso farol. Cabe a cada um de nós defendê-la e lutar por seus princípios e valores", prossegue a nota.

O comunicado é divulgado em 31 de março, data em que se completam 57 anos do golpe militar de 1964. A deposição do presidente João Goulart, que deu início ao regime que duraria até 1985, foi celebrada pelo novo ministro da Defesa, o general da reserva Walter Braga Netto. Em sua Ordem do Dia, Braga Netto pregou a análise do fato de fora distanciada da vida política cotidiana, argumentando que a derrubada de Jango ocorreu em um contexto de Guerra Fria e enfrentamento ao comunismo.

MANIFESTO PELA CONSCIÊNCIA DEMOCRÁTICA

Muitos brasileiros foram às ruas e lutaram pela reconquista da Democracia na década de 1980. O movimento “Diretas Já”, uniu diferentes forças políticas no mesmo palanque, possibilitou a eleição de Tancredo Neves para a Presidência da República, a volta das eleições diretas para o Executivo e o Legislativo e promulgação da Constituição Cidadã de 1988. Três décadas depois, a Democracia brasileira é ameaçada.

A conquista do Brasil sonhado por cada um de nós não pode prescindir da Democracia. Ela é nosso legado, nosso chão, nosso farol. Cabe a cada um de nós defendê-la e lutar por seus princípios e valores.

Não há Democracia sem Constituição. Não há liberdade sem justiça. Não há igualdade sem respeito. Não há prosperidade sem solidariedade.

A Democracia é o melhor dos sistemas políticos que a humanidade foi capaz de criar. Liberdade de expressão, respeito aos direitos individuais, justiça para todos, direito ao voto e ao protesto. Tudo isso só acontece em regimes democráticos. Fora da Democracia o que existe é o excesso, o abuso, a transgressão, o intimidamento, a ameaça e a submissão arbitrária do indivíduo ao Estado.
Exemplos não faltam para nos mostrar que o autoritarismo pode emergir das sombras, sempre que as sociedades se descuidam e silenciam na defesa dos valores democráticos.

Homens e mulheres desse país que apreciam a LIBERDADE, sejam civis ou militares, independentemente de filiação partidária, cor, religião, gênero e origem, devem estar unidos pela defesa da CONSCIÊNCIA DEMOCRÁTICA. Vamos defender o Brasil.

CIRO GOMES,
EDUARDO LEITE, 
JOÃO AMOEDO, 
JOÃO DORIA,    
LUIZ HENRIQUE MANDETTA, 
LUCIANO HUCK.