Adiamento do depoimento de Pazuello na CPI expõe divergência no governo

Ex-ministro da Saúde teve contato com dois servidores que teriam testado positivo para a Covid-19

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
04 de maio de 2021 às 19:46 | Atualizado 04 de maio de 2021 às 19:52

O adiamento do depoimento do ex-ministro Eduardo Pazuello expôs as divergências na cúpula do governo em relação à estratégia para a CPI da Pandemia. Pazuello teve contato com dois servidores que teriam testado positivo para a Covid-19. Um deles é o ex-secretário do Ministério da Saúde Elcio Franco, que hoje é servidor da Casa Civil comandada pelo ministro Luiz Eduardo Ramos.

Elcio esteve no Palácio do Planalto com Pazuello no sábado (1º), domingo (2) e ontem (3). Ele estava ajudando no treinamento para o depoimento que iria ocorrer na quarta-feira (5), quando informou que foi infectado. Mas nem ele, nem Pazuello, disseram à Casa Civil que isso poderia impactar no adiamento do depoimento.

Quem coordenou a operação foi a Secretaria-Geral da Presidência, de Onyx Lorenzoni. A avaliação ontem era a de que o melhor era fazer o depoimento por videoconferência. De segunda-feira para a manhã desta terça-feira (4), foi decidido oferecer também a opção do adiamento.

As duas pastas estão à frente da coordenação da estratégia do governo na CPI, e, como houve erros que levaram a uma composição desfavorável para o governo no colegiado, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) resolveu nos últimos dias dividir as funções de cada um: Onyx ficou com a estratégia política e Ramos com o levantamento de dados.

O assunto, aliás, foi tratado em uma reunião ministerial convocada de última hora na manhã de hoje no Palácio do Planalto. Segundo fontes, Bolsonaro disse que era preciso todos ajudarem e não haver divergências. 

Alguns ministros disseram que as manifestações de rua a favor do presidente no último domingo deram força ao governo para tentar reverter o quadro dentro da comissão.

Até as 18h30, a Casa Civil não havia recebido o atestado de Elcio Franco, mas foi informado que ele pode fazer isso quando retornar da quarentena. A CNN também pediu o resultado do seu teste, mas o servidor não respondeu.

Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, concede entrevista coletiva em Brasília
Ex-ministro da Saúde seria ouvido na CPI da Pandemia na próxima quarta-feira (5)
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters (15.mar.2021)