Calheiros e Randolfe elogiam depoimento de Mandetta: 'Além das expectativas'

Entre os pontos também destacados por Calheiros e Rodrigues também está a adoção da cloroquina a despeito da orientação contrária do Ministério da Saúde

Fernando Molica
Por Fernando Molica, CNN  
04 de maio de 2021 às 18:44 | Atualizado 04 de maio de 2021 às 19:08
Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, é ouvido em sessão de CPI
Luiz Henrique Mandetta, ex-ministro da Saúde, foi ouvido em sessão da CPI da Pandemia
Foto: Jefferson Rudy - 4.mai.2021/Agência Senado

Integrantes da CPI da Pandemia elogiaram o depoimento do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. Para o relator, Renan Calheiros (MDB-AL), a fala trouxe informações "graves" e foi "além das expectativas". Já o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), destacou que as declarações de Mandetta revelaram a existência de "uma espécie de comando paralelo no enfrentamento da pandemia" e mostraram "o que ocorreu naquele momento inicial da pandemia".

Os dois senadores ouvidos pela CNN estão contrários ao governo na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), criada para apurar ações e omissões do governo federal no enfrentamento da pandemia da Covid-19.

Entre os pontos também destacados por Calheiros e Rodrigues estão a adoção da cloroquina a despeito da orientação contrária do Ministério da Saúde, a participação do vereador carioca Carlos Bolsonaro em reuniões sobre a Covid-19 e as divergências que, segundo Mandetta, foram manifestadas pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em relação às orientações científicas para o controle da expansão do novo coronavírus.

Para Calheiros, houve indução ao uso de medicamentos que não tinham evidência comprovada contra a doença.

Os dois mencionaram a declaração do ex-ministro de que, numa reunião de governo, foi mostrado um esboço de decreto que incluiria, na bula da cloroquina, a indicação para seu uso contra a Covid-19. 

Calheiros também relacionou informações do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) de que teria havido procedimento de compras de medicamentos sem análise prévia da Conitec, Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias do SUS.

Calheiros também ironizou a decisão do ex-ministro Eduardo Pazuello de não comparecer nesta quarta-feira (5) à CPI por ter tido contato com duas pessoas que tiveram diagnóstico confirmado para a Covid-19, e disse ter ficado contente que outro integrante do governo fique preocupado com isolamento e distanciamento.

Para ele, a CPI gerou mudanças no comportamento de autoridades, na condução da compra de vacinas e de insumos e até no "abandono do negacionismo".