Filiação de vice de Doria ao PSDB gera troca de farpas entre DEM e tucanos

Presidente do DEM, ACM Neto, diz que filiação de Rodrigo Garcia é fruto uma imposição do governador João Doria

Gregory Prudenciano, da CNN, em São Paulo
14 de maio de 2021 às 15:32
O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia (DEM), fala à CNN
O vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, deixou o DEM e se filiou ao PSDB
Foto: CNN (21.jul.2020)

A filiação do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, ao PSDB, ocorrida nesta sexta-feira (14), gerou atrito público entre tucanos e membros do Democratas, de onde Garcia se desfiliou. 

Pelo Twitter, o presidente do Democratas, o ex-prefeito de Salvador ACM Neto, classificou o trânsito partidário de Garcia como uma "inexplicável imposição estabelecida pelo governador de São Paulo, João Doria, cuja inabilidade política lhe tem rendido altíssima rejeição e afastado os seus aliados". 

Próximo a João Doria e também de saída do DEM, o deputado federal Rodrigo Maia (RJ) disse que ACM Neto é "oportunista" e que, na verdade, "nunca apoiaria Doria", em provável referência à eventual candidatura do governador à Presidência da República. 

ACM Neto tuitou que Doria tem uma "postura desagregadora" que "amplia o seu isolamento político e reforça a percepção do seu despreparo para liderar um projeto nacional". "O momento pede grandeza e compromisso dos homens públicos com o país. Não é hora de dividir, mas de agregar. O Democratas defende a união de forças, e que se deixem os interesses pessoais de lado", pontuou o presidente do DEM.

A relação entre Rodrigo Maia e ACM Neto se desgastou desde a última eleição para a presidência da Câmara, quando o partido abandonou a candidatura de Baleia Rossi (MDB-SP), cuja costura política foi feita por Maia, e embarcou na articulação para eleger Arthur Lira (PP-Al), líder do Centrão e aliado do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), com quem Maia acumulou atritos durante o período em que foi presidente da Câmara. 

Desde então, Maia anunciou que está a procura de um novo partido. Já foi cortejado por PSDB e MDB, mas recentemente houve aproximação com o PSD de Gilberto Kassab, que dias atrás atraiu para suas fileiras outro aliado de Maia, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, que também estava no DEM.

Filiação de Rodrigo Garcia ao PSDB

O PSDB organizou nesta sexta-feira um evento para anunciar a filiação do vice-governador de São Paulo, Rodrigo Garcia, que esteve no Democratas nos últimos 27 anos. Com o gesto, Garcia se cacifa como eventual candidato tucano ao governo de São Paulo em 2022 no caso de Doria desistir da reeleição para tentar a Presidência da República. 

Uma candidatura de Garcia, no entanto, deve enfrentar resistências internas no PSDB paulista, já que o grupo alinhado com o ex-governador Geraldo Alckmin quer vê-lo novamente na disputa pelo Palácio dos Bandeirantes.