PF pede reabertura de investigação sobre fala de Salles de ‘passar a boiada’

Apuração foi arquivada em 2020 pelo procurador-geral, Augusto Aras, que entendeu, na ocasião, que Salles estava apenas externando sua opinião

Daniela Lima
Por Daniela Lima, CNN  
19 de maio de 2021 às 09:54 | Atualizado 19 de maio de 2021 às 13:14
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles
Foto: Adriano Machado/Reuters (30.jan.2020)

Diante da operação da manhã desta quarta-feira (19), a Polícia Federal (PF) pediu o desarquivamento da apuração, iniciada ano passado, sobre a fala do ministro do Meio Ambiente em reunião ministerial, na qual Ricardo Salles disse que, com o foco da imprensa na Covid-19, havia espaço para “passar a boiada” e mudar a legislação ambiental.

A apuração foi arquivada pelo procurador-geral, Augusto Aras, que entendeu, na ocasião, que Salles estava apenas externando sua opinião ao falar sobre o assunto. Isso foi em setembro de 2020.

Hoje, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão nos endereços do ministro, do presidente do Ibama, de outros servidores da área e de cinco empresas sob suspeita de integrar esquema de contrabando internacional de madeira.

O caso está com o ministro Alexandre de Moraes.

Salles se pronuncia

O ministro do Meio-Ambiente falou à imprensa sobre as investigações da Polícia Federal no fim da manhã desta quarta-feira.

Salles afirmou ter sido surpreendido pela investigação e chamou-a de "exagerada" e "desnecessária". Ele negou as acusações e declarou que "o Ministério do Meio-Ambiente, desde o início da gestão, atua sempre com bom senso, respeito às leis e respeito ao devido processo legal", e que ainda não teve acesso ao inquérito.