'CPI não pode ficar só na cloroquina', diz senador Jorginho Mello

Senador do PL titular da comissão também defende que prefeitos e governadores sejam investigados

Por Elis Franco e Rudá Moreira, CNN São Paulo e Brasilia
20 de maio de 2021 às 10:25

Em entrevista à CNN nesta quinta-feira (20), o senador Jorginho Mello (PL-SC), membro titular da CPI da Pandemia, afirmou que as investigações da comissão não devem se concentrar apenas no uso ou não da cloroquina.

Também nesta quinta-feira, acontece o segundo dia de depoimento do ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.

“Tem escândalo, tem roubalheiras. Não pode ficar só na cloroquina, se foi dado, se não foi dado. Enfim, quem dá remédio é médico, é quem receita”, afirmou. Ele complementou dizendo que, por se tratar de uma “decisão médica”, na visão dele, é preciso respeitar.

"Como não tem remédio para a Covid-19, tudo o que o médico pode fazer, ele tem feito. Alguns médicos dão algum tipo de medicamento, outros não dão, e nós precisamos respeitar isso.”

Estados e municípios

Jorginho Mello defende ainda que estados e municípios sejam ouvidos para uma apuração de como o dinheiro público, enviado pelo governo federal, foi gasto localmente. "A questão da saúde é tripartite: é do governo federal, estadual e municipal. A responsabilidade é dos três”, afirma.

“Quando se fala em ir para os estados e municípios, isso dá um calor, muita gente não quer. Por que não quer? Nós temos que apurar, a população quer saber como foi gasto o dinheiro que foi enviado para o enfrentamento da Covid-19.”

O senador ressalta que o valor entregue aos gestores estaduais e municipais foi muito alto e é de responsabilidade deles distribuir e usar esta verba para garantir o acesso à saúde.

“Nunca foi enviado tanto dinheiro para municípios e estados como foi enviado agora. Se você entrega dinheiro para alguém, esse alguém que recebe, que tem responsabilidade com seu estado e município, ele tem que agir. Tem que comprar equipamento, tem que ir atrás, tem que dar conforto para as pessoas, tem que facilitar o atendimento”, defende.

Senador Jorginho Mello (PL-SC), titular da CPI da Pandemia
Foto: CNN Brasil (20.mai.2021)