CPI articula grupo de técnicos e voluntários para detectar mentiras na comissão

A CPI da Pandemia desistiu de contratar formalmente agências de checagem de fatos para detectar mentiras nos depoimentos à comissão

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
21 de maio de 2021 às 19:56 | Atualizado 21 de maio de 2021 às 20:30

 

A CPI da Pandemia desistiu de contratar formalmente agências de checagem de fatos para detectar mentiras nos depoimentos à comissão.

A avaliação foi a de que para a contratação formal seria necessário seguir todo um trâmite burocrático comum a esses procedimentos, e que isso demoraria.

A solução encontrada foi juntar dois grupos para promover a checagem instantânea das informações dadas pelos depoentes. Um por técnicos do Senado e outro por voluntários que se dispuseram a colaborar com a checagem. 

Esses grupos já começarão a operar na próxima semana, quando serão ouvidos a secretária do Ministério da Saúde Mayra Pinheiro e o ex-secretário-executivo da pasta Elcio Franco.

Membros da comissão cogitaram a contratação de uma agência de checagem de fatos
Foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado