Élcio Franco é confirmado na CPI; oitiva foi antecipada após citação de Pazuello

Cinco requerimentos de convocação do ex-secretário foram aprovados pelos membros da comissão na última terça-feira (18)

Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília
21 de maio de 2021 às 18:43
Pronunciamento do secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco
Foto: Tony Winston/Ministério da Saúde

A Comissão Parlamentar de Inquérito da Pandemia confirmou para a próxima quinta-feira (27) o depoimento de Élcio Franco, ex-secretário-executivo do Ministério da Saúde. Segundo membros do colegiado, Franco foi oficialmente avisado da data.

Cinco requerimentos de convocação do ex-secretário foram aprovados pelos membros da comissão na última terça-feira (18).

O interesse em ouvir o ex-secretário cresceu entres os membros da CPI após os dois dias de depoimento do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nesta semana. Para os senadores ouvidos pela reportagem, durante oitiva na comissão, o militar teria deixado claro que Élcio Franco era o encarregado pelas negociações com os laboratórios fabricantes de vacinas.

Com isso, os parlamentares resolveram antecipar o depoimento do ex-secretário, que inicialmente iria acontecer apenas no fim de junho. Os senadores esperam agora que ele entregue mais detalhes das negociações, que para os parlamentares, não avançaram.

 Antes de ouvir o ex-secretário-executivo, a CPI irá sabatinar a secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mayra Pinheiro, na terça (25). Nesta sexta-feira (21), ela apresentou um pedido de reconsideração ao ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), acerca da decisão tomada por ele rejeitando um habeas corpus para que ela pudesse calar diante de perguntas que julgasse ser autoincriminatórias na CPI da Pandemia.

Já na quarta (26), o colegiado irá analisar apenas requerimentos já protocolados para oitivas de novas testemunhas e pedidos de informação.