CPI da Pandemia votará convocação do irmão de ex-ministro da Educação

Neste sábado, foi publicada uma série de vídeos que mostram falas de Arthur Weintraub que sugerem que um suposto gabinete paralelo

Caio Junqueira
Por Caio Junqueira, CNN  
23 de maio de 2021 às 15:25 | Atualizado 23 de maio de 2021 às 17:48

A CPI da Pandemia pretende convocar o ex-assessor da Presidência da República Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro da Educação Abraham Weintraub.

O senador Alessandro Vieira já apresentou um requerimento com a justificativa de “que seja possível esclarecer a potencial condição de participante ou coordenador de um estrutura extraoficial de assessoramento do Presidente da República no combate à pandemia, faz-se necessária a oitiva do Sr. Arthur Weintraub, ex-assessor da Presidência da República”.

Neste sábado, o portal Metrópoles publicou uma série de vídeos no qual mostra falas de Arthur Weintraub que sugerem que ele ajudou a estruturar o que seria o gabinete paralelo para idealizar medidas de combate à Covid. 

 

Em uma das falas, ele diz, em um evento oficial que “a partir de fevereiro, como assessor do presidente, comecei a entrar em contato com médicos”.

Audiência pública sobre o Benefício de Prestação Continuada com o assessor especial da Presidência Arthur Weintraub
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

 

Também diz em uma live com Eduardo Bolsonaro que o presidente Jair Bolsonaro lhe pediu para estudar a cloroquina. “E o seu pai virou pra mim e usou um termo lá ‘o magrelo você que é porra loca vai lá e estuda isso aí e comecei a ler artigo cientifico, não era artigo é isso que pessoal começa a soltar com o que estão pesquisando pra difundir o conhecimento”. Sobre cloroquina, disse que um médico “me mandou também artigo e falei pra ele cloroquina tá funcionando já tem resultado e eles tinham os gráficos”.

O senador Humberto Costa (PT-PE) também apresentou requerimento pela convocação de Weintraub.

Costa diz que, segundo a reportagem, “em 14 de agosto de 2020, Weintraub discursou em um evento no Palácio do Planalto e disse: 'Eu, a partir de fevereiro [de 2020], como assessor do presidente, então é uma oportunidade que me foi dada pelo presidente, eu comecei a entrar em contato com os médicos. Os médicos que tenho referência, como o doutor Luciano Azevedo, a doutora Nise [Yamagushi], o Paulo Zanotto'. Os três nomes citados se notabilizaram pela defesa do tratamento precoce contra a Covid-19.”

No mesmo evento, o anestesiologista Luciano Dias Azevedo agradeceu: “Gostaria de agradecer ao Arthur Weintraub porque desde o início de fevereiro ele nos procurou, começou unir os grupos de médicos para estudar a doença e pesquisar soluções. Senhor Arthur abriu portas”.

Em live veiculada em 12 de abril de 2020, Weintraub também falou sobre o assunto com o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP): “Seu pai virou pra mim e disse: ô magrelo, você que é porra louca, vai lá e estuda isso daí. Ai comecei a ler artigo científico, artigo que o pessoal começa a soltar. Esses caras me mandando, o Luciano Dias Azevedo, Paulo Zanotto, e falei pra ele [Bolsonaro]: cloroquina tá funcionando, já tem resultado. Passei pra ele os estudos, ele lê. Eu passo no zap e depois tá impresso na mesa dele”.

Atualmente, Weintraub atua atua como um dos representantes do Brasil na Organização dos Estados Americanos (OEA).