Relator diz que apresentará parecer de PEC do Voto Impresso na próxima semana

O esforço tem sido o de deixar a iniciativa pronta para ser pautada já em julho em plenário pelo presidente da Câmara dos Deputados

Gustavo Uribe
Por Gustavo Uribe, CNN  
21 de junho de 2021 às 07:23
Urna com voto impresso
Protótipo de urna eletrônica com impressora acoplada
Foto: Nelson Jr./TSE

O deputado federal Filipe Barros (PSL-PR) pretende apresentar na próxima semana relatório da PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do Voto Impresso Auditável.

O relator da iniciativa na comissão especial da Câmara dos Deputados disse à CNN que, antes de apresentar o seu parecer sobre a proposta, promoverá nesta semana audiências públicas e fará visita técnica ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

O esforço tem sido o de deixar a iniciativa pronta para ser pautada já em julho pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL). Procurado pela CNN, Lira disse que ainda não definiu uma data para levar a iniciativa a plenário.

A PEC tramita desde o mês passado em comissão especial. Ela não extingue a urna eletrônica, mas prevê a instalação de um sistema que imprime o voto.

Para que seja válida para as próximas eleições, ela precisa ser aprovada pela Câmara e pelo Senado até o dia 02 de outubro, um ano antes do primeiro turno da disputa presidencial de 2022.

A ideia é que o eleitor cheque se o voto impresso confere com o eletrônico. A impressão é depositada em uma urna trancada, de forma automática e sem contato manual, para que seja usada em eventual auditoria.

O TSE prevê que a impressão dos votos nas eleições brasileiras terá um custo de R$ 2,5 bilhões aos cofres públicos ao longo de dez anos. Os defensores da medida dizem que o custo seria menor, de cerca de R$ 250 milhões.